CNJ inspeciona gabinetes de desembargadores do TJ-RJ suspeitos de corrupção

Procedimento foi autorizado pela ministra Maria Thereza de Assis Moura, corregedora nacional de Justiça
-Publicidade-
Sete desembargadores do TJ-RJ são suspeitos de corrupção
Sete desembargadores do TJ-RJ são suspeitos de corrupção | Foto: Divulgação/TJ-RJ

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) determinou nesta segunda-feira, 23, a realização de uma inspeção extraordinária nos gabinetes de sete desembargadores e de uma juíza do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), suspeitos de integrar um esquema de corrupção.

O procedimento foi autorizado pela ministra Maria Thereza de Assis Moura, corregedora nacional de Justiça. A medida atinge os gabinetes de Adriano Celso Guimarães, Cherubin Helcias Schwartz Junior, Guaraci Campos Vianna, Helda Lima Meireles, José Carlos Maldonado de Carvalho, Marcos Alcino de Azevedo Torres e Mario Guimarães Neto e Roseli Nalin.

Em abril de 2020, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou o afastamento por 90 dias do desembargador Mário Guimarães Neto, alvo da Operação Voto Vencido. O desembargador foi acusado de ter recebido R$ 6 milhões, por meio de sua mulher, para atuar em um processo de interesse da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Rio (Fetranspor).

-Publicidade-

Leia também: “Juízes do TJ-SP estão na mira do CNJ por baixa produtividade”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro