‘Continuo fugido, não vou me entregar’, afirma Zé Trovão

Deputados do PSL foram ao STF protocolar um pedido de habeas corpus em favor do caminhoneiro
-Publicidade-
Caminhoneiro conhecido como Zé Trovão | Foto: Reprodução/Redes sociais
Caminhoneiro conhecido como Zé Trovão | Foto: Reprodução/Redes sociais

O caminhoneiro conhecido como Zé Trovão afirmou na tarde de quinta-feira 9 que não se entregará à Polícia Federal. “Estou aqui de novo tendo que fugir. Eu queria me entregar, mas ninguém quer deixar”, afirmou.

Antes, Zé Trovão, que está no México, gravou vídeos dizendo que poderia ser preso a qualquer momento. Ele teria sido informado pelo hotel onde estava que a Embaixada do Brasil tinha entrado em contato.

Leia mais: “‘O cara não lê a nota e reclama’, diz Bolsonaro em resposta a críticas”

-Publicidade-

“Nossa luta é contra os desmantelos do Supremo, o Alexandre de Moraes, a corrupção. Não estamos de maneira nenhuma defendendo o presidente Bolsonaro. Nem contra, nem a favor. Nós estamos lutando pelo Brasil”, afirmou em um dos vídeos divulgados nas redes sociais.

O caminhoneiro tem um mandado de prisão aberto desde 3 de setembro. O pedido foi feito pela Procuradoria-Geral da República e autorizado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. Ele é acusado de incitar a prática de atos violentos contra o Supremo e o Congresso no 7 de Setembro.

Habeas corpus

Em vídeo divulgado nas redes sociais, a deputada Carla Zambelli (PSL-SP) e o líder do PSL na Câmara, Vítor Hugo, anunciaram que foram ao Supremo para protocolar um pedido de habeas corpus em favor de Zé Trovão. Conforme noticiou Oeste, ontem eles já anteciparam a iniciativa.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário

  1. Se fosse num país onde existissem leis e direito à ampla defesa, até o aconselharia a se apresentar às autoridades acompanhado de um advogado, como mandam as regras. Responderia em liberdade pois afinal o crime que supostamente cometeu que não sei qual é mas se sabe que não atentou contra a vida de ninguém e enfrentaria um julgamento justo. Mas isso aqui não existe e para dizer a verdade, creio que nunca existiu. Então é melhor que continue como está pois pelo menos está em liberdade. Uma liberdade limitada mas é melhor assim.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro