CPI do Rio Grande do Norte investiga Consórcio Nordeste a aprova ida de Edinho Silva

Na quarta-feira, o secretário-executivo do consórcio, Carlos Gabas, que já foi ministro nos governos petistas, ficou calado
-Publicidade-
Prefeito de Araraquara, Edinho Silva ♀4 Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
Prefeito de Araraquara, Edinho Silva ♀4 Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

No Rio Grande do Norte, a Assembleia Legislativa criou a sua própria CPI da Covid para investigar irregularidades no Estado durante a pandemia. O colegiado está se aprofundado cada vez mais nas denúncias que recaem sobre o Consórcio Nordeste.

Segundo os parlamentares, o consórcio pagou R$ 48 milhões por 300 respiradores que nunca foram entregues. No Senado, mesmo com a insistência do senador Eduardo Girão (Podemos-CE), as apurações na CPI da Covid nunca avançaram.

Leia mais: “CPI da Covid aprova nova convocação de Marcelo Queiroga”

-Publicidade-

Na quarta-feira 6, o secretário-executivo do Consórcio Nordeste, Carlos Gabas, que já foi ministro nos governos petistas, utilizou um habeas corpus e permaneceu em silêncio enquanto esteve presente na sessão.

O próximo passo da CPI da Covid do RN é ouvir o prefeito de Araraquara, Edinho Silva (PT), o requerimento já foi aprovado. Ele também já foi ministro da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Segundo o presidente da CPI, deputado Kelps Lima (Solidarierade), documentos mostram índícios de que o dinheiro dos respiradores seria usado até mesmo para compras fora do Estado, como no município de Araraquara.

Silêncio de Gabas gera indignação

O fato de Gabas ter ido ao Rio Grande do Norte com dinheiro pago pelo poder público e não ter aberto a boca gerou a indignação de deputados. O presidente da CPI protestou.

“Veio de avião, se hospedou, almoçou, com despesas pagas com o dinheiro do povo do Rio Grande do Norte, mas não abriu a boca para prestar contas e não quis responder a perguntas básicas”, disse Kelps.

Deputado cobra demissão de Gabas

Kelps Lima pediu que a governadora do Estado, Fátima Bezerra (PT), anuncie a saída imediata do Rio Grande do Norte do Consórcio do Nordeste.

“Governadora, não existe mais justificativa para a senhora deixar o Rio Grande do Norte continuar no Consórcio Nordeste. Tivemos acesso a documentos sigilosos que demonstram que este grupo defende a bandeira de um esquema desastrado”.

“Nós vamos articular a instalação de uma CPI no Congresso Nacional. O escândalo do Consórcio do Nordeste ultrapassou as fronteiras dos nove Estados do Nordeste”, disse Kelps Lima.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.