-Publicidade-

Defesa de Witzel tenta adiar votação de impeachment

Defesa de Witzel tenta adiar votação de impeachment.
Defesa de Witzel tenta destituir subprocuradora do <i>impeachment </i> para ganhar tempo | Foto: Philippe Lima/Governo do Estado do Rio
Defesa de Witzel tenta destituir subprocuradora do impeachment para ganhar tempo | Foto: Philippe Lima/Governo do Estado do Rio | wilson witzel, pgr, stf, impeachment, alerj, votação, edmar santos, delação premiada, lindôra araújo

Depois da delação do ex-secretário da Saúde, defesa do governador do Rio questiona no STF subprocuradora que atuará na ação de impedimento

wilson witzel, pgr, stf, impeachment, alerj, votação, edmar santos, delação premiada, lindôra araújo
Defesa de Witzel tenta destituir subprocuradora do impeachment para ganhar tempo | Foto: Philippe Lima/Governo do Estado do Rio

A defesa do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, tenta ganhar tempo e adiar novamente a votação que pode definir o impeachment dele ainda este mês.

Na noite dessa sexta-feira, 14, os advogados entraram com uma petição na Procuradoria-Geral da República (PGR) e no Supremo Tribunal Federal (STF) questionando a escolha da subprocuradora Lindôra Araújo para atuar no processo de impedimento na Assembleia Legislativa do Estado (Alerj).

De acordo com os defensores, Lindôra não poderia ter sido designada e a PGR deveria ter feito um sorteio. Foi destacado que a subprocuradora é a responsável pelas investigações dos desvios de recurso da saúde estadual, que se complicaram com a delação premiada do ex-secretário da pasta, Edmar Santos.

Os advogados alegam, por fim, que a escolha de Lindôra não observou o princípio do promotor natural do caso, o que fere a imparcialidade da ação.

Nem a PGR, nem o STF têm legalmente de responder à petição.

Já o recurso da Alerj que pede a queda da liminar que interrompe o início do rito de votação do impeachment do governador terá de ser analisado pelo ministro do STF Alexandre de Moraes até essa segunda-feira, 17. Se a decisão for favorável à retomada do processo, calcula-se que o afastamento poderá ser votado até o dia 28.

Desespero

Em suas redes sociais, o governador Witzel afirmou não ter receio da delação de seu ex-secretário de Saúde.

 

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês