Deltan: ‘Posso fazer mais pelo país fora do Ministério Público’

'Impunidade dá carta branca para que quem nos rouba continue roubando', afirma o ex-coordenador da Lava Jato em Curitiba
-Publicidade-
Deltan Dallagnol, ex-Lava Jato, renunciou ao Ministério Público Federal
Deltan Dallagnol, ex-Lava Jato, renunciou ao Ministério Público Federal | Foto: Reprodução/YouTube

Depois de renunciar ao seu cargo no Ministério Público Federal (MPF), o ex-coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, divulgou um vídeo nas redes sociais no qual afirma que o combate à corrupção vem sendo “desfeito” no Brasil. Embora não confirme que entrará na política partidária, ele diz que poderá “fazer mais pelo país” fora do MPF.

“Os nossos instrumentos de trabalho para alcançar a Justiça vêm sendo enfraquecidos, destruídos, e nós temos sido impedidos até mesmo de envolver a sociedade nesse debate por meio da opinião e da crítica”, afirma Dallagnol. “Por isso, eu creio que posso fazer mais pelo país fora do Ministério Público, lutando com mais liberdade pelas causas em que eu acredito.”

-Publicidade-

“A sensação é que o que nós fizemos está sendo desfeito, e a impunidade dá uma carta branca para que quem nos rouba continue roubando. Isso precisa parar”, prossegue o ex-chefe da Lava Jato na capital paranaense.

No vídeo, Deltan não confirma ter pretensões políticas, mas admite que pode “avaliar a refletir” melhor sobre os próximos passos agora que deixa o cargo no MPF definitivamente. Como noticiado mais cedo por Oeste, a tendência é que ele entre para a política, disputando uma vaga na Câmara dos Deputados nas eleições de 2022.

A expectativa é que Deltan se filie ao Podemos, partido que abrigará o ex-ministro da Justiça e ex-juiz Sergio Moro.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

13 comentários Ver comentários

  1. Olha só quem vocês estão criticando uma pessoa que acho que fez oque pode para manter o Lula na cadeia só que quem soltou foi o STF. Acho que na politica se ele trabalhar pelo Brasil ajudará bastante porque vejam os partidos políticos e tentem separar algum político que pensa no Brasil e não só em ter poder veja se vocês conseguem colocar na ponta do lápis pelo menos uns 20 políticos .

  2. Esse cidadão não deixará saudades, teve nessa Lava-jato uma plataforma para projetos pessoais, descobriu-se uma infinidade de “erros jurídicos” perpetrados em nome da ambição desmedida, espero que seja reprovado nas urnas como será Sérgio Moro.

  3. Na política, o Sr pode fazer mais pela agenda globalista, né?
    Responda sobre questões de costumes, Sr Deltan: o que pensa do aborto? O que acha da agenda bancada pela Fundação Lemann? O que acha da pauta ambientalista? E da política armamentista? Conta pra nós, estamos ávidos…
    Há limites para a liberdade de expressão? O Sr acha que tem que criminalizar as chamadas “fake news”? Tem que regulamentar a internet? As Big Techs têm mais é que selecionar o que pode ou não ser falado? O povo anda muito animadinho e falando demais, né? Tem que acabar com essa “polarização”. Olha a China, lá não tem polarização. Nem na Coreia do Norte. Exemplos…
    Ahh, só mais uma perguntinha: o que o Sr achou de prefeitos e governadores baixarem o sarrafo no cidadão comum que tivesse a petulância de um mergulho na praia ou sentasse num banquinho da praça; mandando chumbar portas de pequenos comerciantes; e determinando o que podia ou não ser comprado em supermercados?
    Não ouvi um sussurro sequer do senhor e do seu parça, o Serginho Traíra, em favor do povo guardado dentro de casa, aguardando a falta de ar.
    Só vi um cidadão estufar o peito para defender o mais comum dos populares: #Bolsonaro2022.

  4. Acho que o Deltan Dallagnol é um grande brasileiro. Um dos heróis da Lava Jato. Não é perfeito, como ninguém é, mas provou seu valor e, de fato, deu-nos esperança de ver um Brasil melhor.

    Me preocupa a semelhança dele com o ex-juiz Sergio Moro. Moro foi também um grande juiz e um herói, mas a política é para um outro tipo de pessoa. Qual a popularidade de Moro, hoje, em comparação com Bolsonaro, o líder de estilo polêmico que ele repudiou e até tentou destruir? O próprio Bolsonaro teve que adaptar sua personalidade militar para sobreviver e, hoje, ser o mito que é.

    Mas, pelo seu histórico, eu apoiarei o Deltan se ele entrar para a política. Recomendo apenas que mantenha os pés no chão. Política é um jogo duro, sujo e perigoso, em que gente idealista de verdade costuma ser aceita apenas para ser usada como fachada ou como bucha de canhão. E há toda uma hierarquia partidária, em geral corrupta, que terá que ser “engolida”.

  5. Estou com o senhor, a lava-jato foi destruída pelo atual procurador geral da República e por Bolsonaro para proteger seu filho, isto é minha opinião. Agora, o senhor entrar para o antro, não vai adiantar nada. Está tudo dominado. O exemplo: MBL, JOICE, FROTA… Segundo eles, tinham boas intenções, mas, estamos vendo somente aberração. Espero que consiga, sabemos que está sendo pressionado e lá em Curitiba deve estar cheio de “olheiros” …

  6. Assim como a atuação dele, dos processos do p point, uma vergonha alheia, será a politicagem que fará, campanha eleitoral no p point, isso ele é bom, e a República de Curitiba em polvorosa de novo kkkkkkkkk

  7. Com certeza vai se candidatar para senador ou deputado para se proteger dos processos e ter imunidade parlamentar, fez um excelente trabalho no MPF, mas precisa tomar cuidado para não vincular sua imagem ao grande TRAÍRA Sérgio Moro.
    A conferir.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.