Governador João Doria amplia restrições em São Paulo

Estado volta à fase amarela sob justificativa de que os casos de coronavírus aumentaram
-Publicidade-
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) | Foto: BRUNO ESCOLASTICO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) | Foto: BRUNO ESCOLASTICO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO | O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) | Foto: BRUNO ESCOLASTICO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Estado volta à fase amarela sob justificativa de que os casos de coronavírus aumentaram

doria
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) | Foto: Bruno Escolastico/Photopress/Estadão Conteúdo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta segunda-feira, 30, que o Estado vai regredir à fase amarela do plano de contingência do coronavírus. Com a decisão, comércios e serviços voltam a funcionar menos horas por dia. Segundo o tucano, a medida se justifica devido aos aumentos de casos de covid-19. Atualmente, a capital se encontra na fase 4, verde, a mais branda, assim como as regiões de Campinas, Sorocaba e Baixada Santista, totalizando 76% da população do Estado. Outra parcela da Grande de São Paulo está na fase 3, a amarela. Ao todo são cinco fases estipuladas pela gestão do tucano.

-Publicidade-

Leia também: João Doria, o Che Guevara da Daslu, artigo de Guilherme Fiuza publicado na edição n° 36 da Revista Oeste

Considerando os critérios do governo, na fase amarela, salões de beleza, bares, restaurantes, academias, parques e atividades culturais (com público sentado) podem continuar abertos, mas com restrições. Esses estabelecimentos comerciais, incluindo comércio de rua, shoppings, academias e prestadores de serviço poderão funcionar por dez horas (na fase verde, eram 12 horas). Outro setor que será impactado é o das atividades culturais, que só são autorizadas pelo governo a partir da fase verde (4). Caso não haja mudança nos critérios, teatros, museus, bibliotecas e cinemas podem ser forçados a interromper suas atividades.

O que muda

1) Academias de esporte de todas as modalidades e centros de ginástica terão capacidade de ocupação máxima limitada de 60% para 30% do local e o horário reduzido de 12 para dez horas. Serão permitidas aulas e práticas individuais, mas aulas e práticas em grupo serão suspensas.

2) A ocupação máxima de shopping centers, galerias, comércio e serviços passa de 60% para 40% da capacidade e o horário de funcionamento será reduzido de 12 para dez horas por dia.

3) Praças de alimentação devem ser ao ar livre ou em áreas arejadas.

4) O consumo local em restaurantes ou bares deve funcionar somente ao ar livre ou em áreas arejadas, a ocupação máxima passará de 60% para 40% da capacidade do local e o horário de funcionamento fica restrito a dez horas diárias.

5) Ocupação máxima de salões e barbearias passa de 60% para 40% da capacidade e o horário de funcionamento encolhe de 12 para dez horas por dia.

6) Eventos, convenções e atividades culturais com público em pé voltam a ser proibidos.

Matéria em atualização

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.