-Publicidade-

Doria vetou projeto de combate à corrupção, acusa deputado

Danilo Balas, entretanto, não desiste de proposta barrada pelo governador
O deputado estadual Danilo Balas em vídeo gravado enviado para a Revista Oeste | Foto: Reprodução/YouTube
O deputado estadual Danilo Balas em vídeo gravado enviado para a Revista Oeste | Foto: Reprodução/YouTube | deputado estadual agente federal danilo balas x governador joão doria

Danilo Balas, entretanto, não desiste de proposta barrada pelo governador

deputado estadual agente federal danilo balas x governador joão doria
O deputado estadual Danilo Balas em vídeo gravado enviado para a Revista Oeste | Foto: Reprodução/YouTube

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), foi responsável por tomar decisão que vai contra o combate à corrupção em órgãos públicos do Estado. Ao menos é o que acusa o deputado estadual Danilo Balas (PSL). Em vídeo enviado exclusivamente à reportagem da Revista Oeste, o parlamentar lamenta o veto ao projeto de lei 799.

Leia mais: “Doria veta projeto que protegia agentes públicos que denunciassem irregularidades”

Além de criticar o veto por parte do político tucano, Balas reforçou o caminho que o projeto seguiu na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). Ele lembrou que o tema recebeu parecer positivo das três comissões em que foi analisado: Constituição & Justiça, Segurança Pública e Orçamento & Finanças. Por fim, foi aprovado de forma unânime pelo plenário da Casa.

“Nosso projeto não é inconstitucional”, disse Balas. “E também não mexe com o estatuto do servidor público daqui do Estado de São Paulo”, prosseguiu o deputado estadual. “Também não altera uma legislação civil ou penal”, complementou o integrante do PSL que já avisou: trabalhará para que a maioria qualificada da Alesp (dois terços dos deputados) derrube o veto vindo do Palácio dos Bandeirantes. 

Assista ao vídeo:

Com colaboração de Afonso Marangoni.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês