Eleições 2020: Deputado do PDT quer proibir comícios

Túlio Gadêlha quer impedir "encontro" de candidatos com o eleitorado
-Publicidade-
O deputado federal Túlio Gadelha (PDT-PE); ele quer uma eleição sem comício | Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
O deputado federal Túlio Gadelha (PDT-PE); ele quer uma eleição sem comício | Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados | túlio gadêlha - pdt - encontro - comício - eleições 2020

Túlio Gadêlha quer impedir “encontro” de candidatos com o eleitorado

túlio gadêlha - pdt - encontro - comício - eleições 2020
O deputado federal Túlio Gadelha (PDT-PE); ele quer uma eleição sem comício | Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

Sem encontro entre candidato e o eleitorado em potencial. É dessa forma que pode ser definido o Projeto de Lei (PL) de autoria do deputado federal Túlio Gadêlha (PDT-PE). Isso porque o parlamentar deseja proibir a realização de comícios e qualquer outro ato político que gere aglomerações.

-Publicidade-

Leia mais:Câmara aprova adiamento das eleições 2020

A proposta defendida por Gadêlha é referente apenas às eleições deste ano. Assim, passada o estado de calamidade pública em vigor no Brasil devido à pandemia do novo coronavírus, ele (e qualquer outro candidato) poderá promover “encontro” com eleitores período de campanha de 2022. Na ocasião, o pedetista poderá, por exemplo, tentar reeleição como representante do povo pernambucano.

“Possuímos ferramentas digitais que podem nos auxilia”

“Mesmo que nos próximos meses o surto [de covid-19] mais grave seja controlado, apenas a manutenção de medidas sanitárias corretas garantirá a preservação de nossa saúde”, disse o parlamentar, de acordo com a Agência Câmara. Para ele, políticos devem investir em ações virtuais. “Possuímos ferramentas digitais que podem nos auxiliar e sanar a lacuna deixada pela proibição de comícios”, comentou Gadêlha.

Saúde

O integrante do PDT coloca que o seu projeto se faz necessário por questão de saúde pública. Nesse sentido, o texto apresentado por ele que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) devem definir medidas que garantam o bem-estar dos eleitores que irão às urnas em novembro para escolher prefeitos e vereadores.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. De que partideco é ele mesmo? Ah! Já sei…Bom…dessa corja e daquela outra, que no fundo são a mesma gangue, e que não é bom nem falar o nome, a gente espera qualquer coisa…então…entra por um ouvido e sai pelo outro…!
    Não vale a pena nem noticiar!

  2. E incluam na lei que programas televisivos vagabundos de namoradas de politicos cujo nome ninguém se lembra serão retirados do ar 6 meses antes das eleições.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.