Campanha de Lula aciona o TSE contra uso de discurso de Bolsonaro na ONU

Petistas reclamam de uso indevido dos meios de comunicação e solicitam veto de vídeo na propaganda do presidente
-Publicidade-
Presidente Jair Bolsonaro, durante discurso na ONU, na terça-feira
Presidente Jair Bolsonaro, durante discurso na ONU, na terça-feira | Foto: Reprodução/ONU

A coligação de Lula (PT) acionou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o pedido de que o presidente Jair Bolsonaro (PL) seja proibido de usar na sua campanha as imagens do discurso na 77ª Assembleia Geral na Organização das Nações Unidas (ONU). O chefe de Estado brasileiro abriu o evento na terça-feira 20, em Nova Iorque.

A ação pede a investigação por suposto abuso de poder político e econômico e uso indevido dos meios de comunicação por Bolsonaro e pelo seu candidato a vice, Walter Braga Netto. Os petistas solicitam que o presidente remova de seus perfis nas redes sociais o vídeo de sua participação na ONU. A campanha de Lula também quer a exclusão do discurso no canal do YouTube da TV Brasil, “por servir de propaganda eleitoral ao candidato à reeleição, ferindo gravemente a paridade de armas do pleito”.

A ação está sob a relatoria do corregedor-geral eleitoral, ministro Benedito Gonçalves, o mesmo que proibiu Bolsonaro de usar imagens dos atos de 7 de Setembro em sua campanha eleitoral.

-Publicidade-

Os advogados da coligação de Lula argumentam que o tom do discurso evidenciou a intenção do presidente de usar a ocasião para “fazer um balanço de seu governo, compará-lo com os governos de seu adversário na eleição e 2022 e apresentar propostas para o pleito que se avizinha”.

A campanha de Ciro Gomes (PDT) também entrou com uma ação parecida no TSE, pedindo a proibição do uso de imagens do discurso na ONU pela campanha de Bolsonaro.

Bolsonaro na ONU

O presidente Jair Bolsonaro abriu a Assembleia Geral da ONU, quando aproveitou o discurso tradicional para fazer um balanço do seu governo. Entre temas que foram das ações em defesa ao agronegócio e reações para manter a economia do país, o chefe de Estado afirmou que sua gestão colocou fim à corrupção no Brasil.

Bolsonaro usou parte de seu discurso para cobrar que o Brasil passe a ocupar um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.