No último debate presidencial, ataques venceram propostas

Discussões marcaram o encontro entre os candidatos à Presidência da República
-Publicidade-
Ciro, Simone e Padre Kelmon, à esquerda; Bolsonaro, ao centro; e Lula, Soraya e d'Avila à direita da imagem
Ciro, Simone e Padre Kelmon, à esquerda; Bolsonaro, ao centro; e Lula, Soraya e d'Avila à direita da imagem | Foto: Reprodução/TV Globo

O debate promovido pela Rede Globo teve inúmeras trocas de farpas entre os candidatos à Presidência da República. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o Padre Kelmon (PTB), por exemplo, precisaram ter o microfone cortado pelos produtores do evento. O presidente Jair Bolsonaro (PL) e a senadora Soraya Thronicke (União Brasil), por sua vez, trocaram acusações de corrupção. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e o empresário Felipe d’Avila (Novo) relembraram os escândalos de corrupção durante os governos petistas. Simone Tebet (MDB) escolheu Bolsonaro e Lula como alvo.

Lula versus Padre Kelmon

A discussão teve início depois de Kelmon ter dito que Lula era o líder do maior escândalo de corrupção da história mundial. Lula rebateu e acusou o petebista de estar desinformado. Kelmon, então, interrompeu o candidato do PT — o que provocou desconforto no mediador do debate, o jornalista William Bonner.

-Publicidade-

“Candidato Kelmon, não consigo entender”, advertiu Bonner. “Já falei algumas vezes. O senhor compreendeu que há regras no debate? O senhor concordou com elas, basta cumpri-las. Quando seu adversário estiver falando, é só aguardar. O senhor terá direito à réplica. É assim que funciona.”

“Candidato laranja não tem respeito por regra”, afirmou Lula, ao retomar o discurso. “Candidato laranja faz o que quer.”

Depois, ambos os candidatos trocaram agressões verbais. “O senhor tem de respeitar um padre”, advertiu Kelmon. “O senhor é um padre fantasiado”, respondeu Lula. A troca de farpas motivou nova intervenção de Bonner, que pediu à produção do debate que cortasse o microfone dos candidatos. “Peço desculpas ao público, porque, infelizmente, não está havendo o cumprimento do ordenamento que havia sido feito com todos os candidatos”, disse.

Caso Celso Daniel

Lula teve de lidar com críticas ao seu governo e com menções ao assassinato de Celso Daniel, ex-prefeito petista de Santo André (SP). Em pergunta a Simone, Bolsonaro mencionou o suposto envolvimento do petista morte de Daniel, em 2002, citando uma declaração recente sobre o caso da senadora Mara Gabrilli (PSDB), vice na chapa da emedebista.

O ex-presidente pediu direito de resposta e falou sobre o tema. “O Celso Daniel era meu amigo e foi o melhor gestor público que esse país teve”, rebateu Lula. “Ele foi chamado para coordenar o meu programa de governo de 2002. Você vem culpar o Lula pela morte do Celso Daniel. Seja responsável.”

Recentemente, o publicitário Marcos Valério, um dos operadores do escândalo do Mensalão no governo de Lula, ligou o ex-presidente e a cúpula do PT à morte de Daniel, durante delação premiada à Polícia Federal.

Dobradinha de Ciro e d’Avila

Ciro e d’Avila recordaram os escândalos de corrupção petistas. Em especial, citaram o Mensalão. “Há uma coisa que sabemos e concordamos: Lula e o PT foram autores do maior escândalo de corrupção da história do Brasil”, afirmou o candidato à Presidência pelo Novo.

Ciro ressaltou a ideia do candidato do Novo: “A corrupção se generalizou de tal maneira que não dá para esconder”. E continuou: “R$ 16 bilhões foram devolvidos. De onde vem essa montanha de dinheiro? Quando devolveram, disseram que roubaram durante o governo do PT, com conhecimento do Lula”.

Segundo d’Avila, o ex-presidente Lula (PT) não teria capacidade moral de liderar o país. O pedetista concordou. “Lula não aprendeu com as amargas lições que tomou”, observou Ciro. “Não dá para aceitar essa ideia de que não aconteceu nada. Devolveram R$ 16 bilhões. É, disparado, o maior escândalo de corrupção desvendado da história do Brasil.”

Moralização da Petrobras

Lula disse que “moralizou” a Petrobras. A declaração foi uma resposta à candidata do MDB à Presidência, Simone, que perguntou ao petista se, em eventual novo governo, o PT privatizaria estatais deficitárias.

“Moralizamos muitas coisas neste país, sobretudo a Petrobras”, afirmou o petista, ao responder à pergunta de Simone. “Capitalizamos a Petrobras em US$ 70 bilhões. A Petrobras não achou o pré-sal por sorte, não. Houve investimento em pesquisa. O que resultou foi emprego, educação.”

Durante os governos petistas, liderados por Lula e Dilma Rousseff, a Operação Lava Jato descobriu um esquema bilionário de corrupção na Petrobras, conhecido como “Petrolão”. O esquema envolvia cobrança de propina de empreiteiras, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e superfaturamentos de obras contratadas para abastecer os cofres de partidos, funcionários da estatal e políticos. Esse escândalo tornou-se alvo de investigações da Polícia Federal.

Candidata “Bolsonara”

Em meio aos momentos tensos durante o debate na Globo, Simone e Soraya protagonizaram uma “dobradinha” afinada em alguns momentos do encontro entre presidenciáveis. Em uma dessa cenas, no terceiro bloco, quando Simone estourou o tempo ao formular sua pergunta, Soraya disse que cederia seu espaço para a adversária concluir a indagação. Antes, em um ato falho, a emedebista se referiu à adversária como “candidata Bolsonara”. Ela se corrigiu imediatamente e pediu desculpas à colega de Senado.

Lula versus Bolsonaro

Lula e Bolsonaro também se estranharam durante o debate. Em diálogo com o Padre Kelmon, o chefe do Executivo disse que o petista é “chefe de quadrilha”. O ex-presidente, por sua vez, pediu direito de resposta e foi ao púlpito rebater as acusações de Bolsonaro.

“Esperava que o atual presidente tivesse o mínimo de honestidade”, afirmou o petista. “Ele falar que montei quadrilha, tendo a quadrilha da ‘rachadinha’ dos filhos dele? A quadrilha do Ministério da Educação, com barras de ouro? Ele precisava se olhar no espelho e saber o que está acontecendo no governo.”

Bolsonaro também pediu direito de resposta e teve seu direito atendido. “Mentiroso, ex-presidiário”, disse o presidente, olhando para Lula. “Traidor da pátria. ‘Rachadinha’ fizeram seus filhos, roubando milhões de empresas depois de sua chegada ao poder. Deixe de mentir, tome vergonha na cara.”

Último encontro

O terceiro debate entre os candidatos à Presidência da República teve início na quinta-feira 29 e encerrou-se na madrugada desta sexta-feira, 30. O evento contou com a mediação do jornalista William Bonner.

Foi o último encontro dos candidatos antes da eleição. O primeiro turno está marcado para 2 de outubro. Se houver segundo turno, será realizado em 30 de outubro.

Participaram do debate Ciro Gomes (PDT), Jair Bolsonaro (PL), Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Luiz Felipe d’Avila (Novo), Simone Tebet (MDB), Soraya Thronicke (União Brasil) e Padre Kelmon (PTB). Eles pertencem a partidos que têm, no mínimo, cinco deputados federais na Câmara.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

12 comentários Ver comentários

  1. A única opção que restou ao sistema podre que controla a política e o poder no Brasil foi escolher um candidato ladrão, bêbado e decrepito para disputar a presidencia. A presença de Lula nesta eleição é a prova da imundice moral em que o país foi mergulhado. Os comparsas do PT e da extrema esquerda não se escondem mais, perderam todos os escrúpulos de decência apoiando um corrupto compulsivo líder de quadrilha com todos os seus crimes devidamente provados nos autos dos processos em que foi julgado e condenado. Aconteceu no Brasil o mesmo que ocorreu com a Itália após a Operação Mãos Limpas, o sistema reagiu para se autoproteger em compadrios criminosos e continuar roubando a nação, felizmente, hoje os italianos perceberam isso. Consertar tamanha degradação institucional no Brasil não será tarefa fácil, já percebemos, por isso que esta eleição é tão importante para o país, nosso futuro e de nossos filhos e netos depende da decisão que tomaremos no domingo, ou iniciamos uma retomada da moralidade e auto estima do país, com desenvolvimento sustentável a médio e longo prazos ou desceremos a ladeira do caos chafurdando na lama rumo ao imprevisível. Está na hora de mudarmos os caminhos da história e perder essa oportunidade é um atestado de insanidade e suicídio coletivo.

  2. É natural. A toda ação corresponde força igual e contrária.
    O programa do governo Jair Messias é dar continuidade a tudo que está sendo realizado, em especial ênfase cada vez mais ao desaparelhamento do judiciário e educação, maiores males da Nação. Gente que torce prá que tudo dê errado.
    Portanto, existe sim um programa de governo. Em 2.018 não tinha programa do Capitão, apenas prometeu acabar com a corrupção. Mas para isto, precisaremos reeleger o seu sucessor por pelo menos mais 16 anos, extirpando da política os netos dos vagabundos a que João Baptista Figueiredo se referiu.
    Aí teremos mudada, a cara desse STF, teremos pelo menos uns 10 banqueiros mais, e as universidades públicas serão pagas, com uma educação de base sem o aparelho que tem hoje.
    Artistas hoje com 80 anos, como eu, já foram pro inferno, e a sociedade terá gente competente fazendo nossos netos viverem a verdadeira arte, em todos os campos, com os profissionais da arte, da cultura, sabendo que ELES É QUE PRECISAM DO PÚBLICO. E NÃO O ESTADO QUE TEM DE SUSTENTÁ-LOS.
    Bons tempos à caminho!!!!

  3. Desculpem.

    Não foi ataque do Presidente Bolsonaro e do Padre Kelmon no debate. Dos outros sim, contra o Presidente Bolsonaro.

    O que o Presidente Bolsonaro e o Padre Kelmon falaram, foi a verdade, porque a maioria das grandes mídias, que alcançam os milhões de brasileiros que as assistem, omitem a imensa roubalheira feita pelo PT, porque estão com abstinência do dinheiro do povo brasileiro, não se importando até se o PT esteve envolvido com a morte do Celso Daniel, conforme disse a senadora Mara Gabrilli.

    Por isso a indignação do Presidente!!!

    É muito sujo isso, e por isso o Brasil corre risco sim de se tornar uma ditadura porque todos eles querem continuar a roubar nosso dinheiro, fazendo todo o tipo de trapaça, sem que o povo saiba. Estão todos desesperados para regular a mídia e aprovar a lei das “fake news”.

    Acho que todos os brasileiros não tem noção do que vai acontecer se o Lula ganhar. O Brasil se tornará perigosíssimo para o povo de bem.

    O STF libertar o Lula, deixá-lo concorrer como Presidente desta nação, sabendo de tudo o que aconteceu, e o TSE bloquear o Presidente Bolsonaro ou qualquer outra mídia independente de falarem do envolvimento do Lula com o PCC, com a morte do ex-Prefeito Celso Daniel do PT, denunciado pelo Marcos Valério, e proibir o Presidente Bolsonaro de todas as maneiras, sejam nas lives, propaganda eleitoral, de divulgar a VERDADE, ou de mostrar que o povo está com ele, é de uma imoralidade sem precedente.

    E um aviso. Se pedirem ao povo para tirarem o Lula do Poder para o Alckimin ficar no lugar dele, esqueçam. Trocar por outra porcaria não vale a pena. O POVO NÃO IRÁ PARA AS RUAS NESSE CASO.

  4. Um debate na globo e com a presença de um candidato ex-presidiário, solto por amigos para tentar vencer as eleições, somente podia dar nisso mesmo. Um baixo nível geral.
    Esse ano tem que ser Bolsonaro mesmo, não tem outro candidato.

  5. Não há estratégia, quando a volta do maior corrupto do mundo se faz previsível. Esse partido inútil e sangue suga, deve ser extinto, custe o que custar, depois pensaremos em estratégia.

  6. Era previsível que se discutisse mais do que se apresentasse propostas. A esquerda, representada ali pelo ex sindicalista e o Ciro, além das duas mulheres, estão desesperados, pois veem a chance de vitória ir pelo bueiro.

    À criticar, a forma de organização do debate, o modelo, e a postura do mediador, um tanto dúbia e tendenciosa.

    Penso não haver nenhuma dúvida em quem votar no domingo. Um ponto muito positivo foi o Padre Kelson, como já escrevi abaixo, ter derrubado completamente, o ex sindicalista que aliás, mentiu sobre ser “católico”: ele disse que “frequenta” Missas sempre. Wow! Católico sabe que nós PARTICIPAMOS da Missa, não “frequentamos”, já que Missa, Igreja; não é bar, padaria ou boate. Na Missa, todos participam ativamente dela e um homem ordenado, preside a Missa. Um católico sabe disso, o ex sindicalista, não, pois ele nunca foi católico. Isso é muito claro: como esquerdista que é, ele se iguala ao Biden e a Nancy Pelosi, nos US. Eles se dizem católicos, mas apoiam o aborto, ideologia do gênero e outras pautas “progressistas”.

  7. O Padre Kelmon lavou a alma e disse tudo que o Nine deveria ouvir, mesmo com o periodista oficial da Bobo querendo puni-lo, pois o Nine interrompeu e o periodista nada disse. Foi excelente ver no Twitter os periodistas verificados lefts, criticando o padre, zombando dele. Claro, ficaram irados, já que o amado deles gaguejou e perdeu feio para o Padre.

    Os esquerdistas mentem o tempo todo. Exemplo: estão dizendo nas redes sociais que Padre Kelmon é do “esquema” de Bolsonaro, piada! Se não tivessem barrado o Roberto Jefferson, ele que estaria hoje no debate, e no anterior, na outra emissora de TV.

    Bem, gostando ou não de Bolsonaro, domingo é 22, sem dúvida. Nine nem deveria estar concorrendo e para o bem do Brasil e dos cristãos, a esquerda precisa ser varrida de qualquer nível do poder. Deve-se votar em todos os níveis, em candidatos conservadores e cristãos.

  8. JB22 foi perfeito na sua estratégia e explico; Caso o JB22 tivesse ido para cima do Luladrão teria caído numa armadilha fatal. Que armadilha seria essa? Respondo; Pará perguntar o JB22 teria 30 segundos em seguida o Luladrão teria 3 para réplica em seguida JB22 mais 1 minuto para sua réplica e Luladrão mais 2 minutos para sua treplica, ou seja, enquanto JB22 no bloco tinha 30 segundos para pergunta + 1 minuto para réplica o ex-presidiário teria 3 minutos para réplica + 2 minutos para treplica para responder JB22 na mesma pergunta do JB22 no bloco, ou seja, 3 + 2 = 5 minutos para usar como palanque ao vivo e a cores para milhões de supostos indecisos em todo território nacional pois ontem foi o debate mais esperado das últimas décadas que antecede as eleições por se tratar de dois rivais declarados e ser num canal aberto, globolixo. A armadilha estava armada e perfeita caso JB22 fosse para cima do Luladrão saindo escolhendo Luladrão para fazer suas perguntas. A turma é Luladrão estavam esperando isto só que, o JB22 ou percebeu ou foi orientado a não fazer perguntas para o Luladrão para não dar direito a 5 minutos entre réplicas e treplicas a cada pergunta por bloco do debate de ontem. O JB22 com sua estratégia cancelou o palanque armado e programado pela Globolixo, Luladrão é toda escroque de esquerdeopatas que seria e imaginariam que na ânsia do JB22 ir para cima do ex-presidiário daria entre réplica e treplica no mesmo bloco 5 minutos para o Luladrão usar como palanque ao vivo e a cores no debate mas JB22 não caiu na armadilha pronta e ignorou e não fez perguntas ao Luladrão para não dar por bloco do debate 3 minutos de réplica e 2 minutos de treplica para Luladrão fazer seu comício final na globolixo. O Luladrão ficou a ver navios juntos com seus jumentos adestrados porque JB22 não caiu na armadilha pronta na globolixo para dar palanque ao ex-presidiário. Parabéns pela estratégia perfeita e ao perceber o que estava preparado pelo fato da turma da globolixo ter acreditado que vc JB22 iria para cima. Não foi e desmontou o palanque que todos estavam esperando para o Luladrão. Já pensou dar 5 minutos para Luladrão usar por cada bloco do debate para o Luladrão mentir mentir e mentir usando a globolixo como palanque nacional ao vivo e a cores. A armadilha e cilada não funcionou contra o JB22… Entenderam?? Foi isto… É isso… Bom dia

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.