Pesquisador do Datafolha diz que foi agredido no interior de São Paulo

Senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG) usou as redes sociais para manifestar solidariedade ao trabalhador
-Publicidade-
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução | Foto: Reprodução

Um pesquisador do instituto de pesquisa Datafolha disse que foi agredido com chutes e socos em Ariranha, interior de São Paulo. O caso ocorreu na terça-feira 20. Conforme o boletim de ocorrência, o pesquisador estava entrevistando uma pessoa quando foi abordado por dois homens que o chamavam de “vagabundo” e logo começaram a bater em suas costas. O pesquisador registrou o caso como injúria e lesão corporal.

Logo depois das agressões, a vítima foi socorrida e levada para um hospital próximo da região. Após fazer alguns exames e passar pelo atendimento médico, o trabalhador foi liberado. “A vítima foi cientificada quanto à forma e ao prazo para representar criminalmente, desejando neste ato apenas o registro dos fatos”, informa o boletim divulgado pelo portal CNN.

O pesquisador tem até seis dias, que contam a partir da comunicação do acusado, para oferecer representação criminal ou queixa-crime. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, os agressores seriam eleitores do presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL).

-Publicidade-

De acordo com o jornal, a confusão começou quando o pesquisador terminou uma entrevista com outra pessoa. Nesse momento, um homem identificado como Rafael Bianchini se aproximou do pesquisador e gritou “só pega Lula” e “vagabundo”.

O trabalhador então virou de costas para o agressor, sendo atingido. Além disso, o tablet usado para as entrevistas também teria sido derrubado no chão. Segundo o veículo, o profissional reagiu às agressões e foi atingido também pelo filho do homem. O jornal ainda relata que o agressor entrou em sua casa e voltou com uma faca em mãos. No entanto, teria sido contido pelo filho.

Nesta quinta-feira, 22, o senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), presidente do Senado Federal e do Congresso Nacional, usou as redes sociais para manifestar solidariedade ao pesquisador do Datafolha.

“Manifesto minha solidariedade ao pesquisador do Datafolha que foi agredido, de forma covarde, enquanto realizava o seu trabalho em Ariranha, São Paulo, em mais um ato suspeito de violência política”, escreveu no Twitter.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.