Em curso de universidade federal, Stédile ensina alunos a se tornarem ‘pastorzinhos de esquerda’

Líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra ressaltou a importância da 'especialização em reforma agrária'
-Publicidade-
O líder do MST, João Pedro Stédile, durante uma aula na especialização | Foto: Reprodução/YouTube
O líder do MST, João Pedro Stédile, durante uma aula na especialização | Foto: Reprodução/YouTube

O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), João Pedro Stédile, está lecionando na Universidade Federal do Agreste de Pernambuco (Ufape) como professor do curso “Especialização em Questão Agrária”. Na aula inaugural, Stédile cumprimenta a todos e anuncia o objetivo da disciplina: “Vocês vão ter de ser como uns pastorzinhos populares de esquerda.”

Antes do conteúdo programático ser apresentado, os 87 alunos e outros 100 ouvintes testemunharam “palestras” de lideranças do MST e do ajuntamento Via Campesina. Stédile, então, ressaltou a importância de que o curso, por ora oferecido à distância, possa ter aulas presenciais. “Para a formação de quadros, é preciso a vivência”, salientou. “Assim, as aulas serão menos ‘aburridas’ (sic)”.

stédile
Aula inaugural da especialização | Foto: Reprodução/YouTube
-Publicidade-

“A universidade brasileira nunca quis se aprofundar nesse assunto, que é de suma importância”, disse Stédile. Previsto para começar em março de 2020, a pandemia de coronavírus acabou atrasando o início do curso, que teve sua aula inaugural em dezembro do mesmo ano. As aulas são semanais, transmitidas pelo canal no YouTube do “Centro de Formação Paulo Freire.”

O curso tem 24 meses de duração, sendo 16 meses para as disciplinas e 6 meses para a entrega do TCC e finalização do curso. A especialização deve acabar em dezembro de 2022, com a defesa de uma “tese” sobre os assuntos estudados.

Conteúdo programático

A especialização trata das “intervenções na sociedade, considerando a necessidade de construção de novas relações sociais de trabalho que respeitem o ser humano, a natureza e o uso sustentável dos recursos naturais, para fortalecer os assentamentos de Reforma Agrária enquanto espaços de produção e de vida.” O objetivo é “trazer aprimoramento técnico e profissional e aprofundar os estudos da questão agrária”, informa edital da Ufape.

Pelo menos 18 conteúdos já foram disponibilizadas, com aulas de “professores” ligados ao MST ou à Escola Nacional Florestan Fernandes. Entre os temas já tratados estão Questão Agrária e o Materialismo Histórico, Princípios da Economia Política. Conceito de Renda da Terra, Avanços do Capital no Meio Ambiente no Brasil, Agroecologia, Capital Financeiro no Agronegócio, Revolução Verde no Brasil, e Desenvolvimento do Capitalismo na Agricultura.

Com informações do jornal Gazeta do Povo

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

11 comentários Ver comentários

  1. O marginal não sabe a diferença entre uma jaca e uma couve! Um excremento desse precisa de gente que realmente trabalha até para comer!

  2. Stédile dando aulas ? Levaremos mais 500 anos p desinfetar as universidades e escolas desses comunistas. Em nenhum lugar do mundo essa merda deu certo e ainda tem um bando de retardados q continua a acreditar e insiste em tentar implantar isso, só pode ser retardo mental n tem outra explicação.

  3. Finalidade precípua é formar idiotas úteis à causa de esquerda. Some-se o silêncio da Igreja Católica, bandidos engajados na mesma causa podem tudo!

  4. Nada de mais, esse sempre foi o trabalho da esquerda. Aquele trabalho de formiguinha, constante e ao longo do tempo, sem pressa para ser feliz (segundo eles).

  5. A maior decepção q tive c MG, foi estando em Diamantina, terra de JK, saber q em frente à praça JK, numa entrega de medalhas do governo Pimentel, esse bandido ser Agraciado com a oferenda..Deus todo poderoso nós livre desses tipos de mestres
    Grandississimo fdp, até hj homenageado por gente que nunca perdoaemos!
    Gente como Aécio, Pimentel, FHC, Lula e Dilma.
    Apesar desses postes como Haddad, serem apenas instrumentos do q é maligno.

    1. Se foi agraciado com a medalha JK, está tudo nos conformes, pois está homenageando um comunista com a medalha de outro comunista. Ou você não sabe que o JK era um comuna?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.