Em dez anos, indústrias migram do Sudeste para outras regiões

Conclusão é de estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI)
-Publicidade-
Linha de montagem de automóvel | Foto: José Patrício/Estadão Conteúdo
Linha de montagem de automóvel | Foto: José Patrício/Estadão Conteúdo

Em dez anos, a indústria brasileira ficou menos concentrada nos Estados do Sudeste e ganhou força em outras regiões do país. Estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgado nesta segunda-feira, 17, aponta que São Paulo e Rio de Janeiro foram os que perderam mais espaço na composição do PIB industrial.

São Paulo perdeu 5,5 pontos percentuais de participação na produção da indústria de transformação, principal segmento industrial do país. O Rio Janeiro obteve o segundo pior desempenho, com recuo de 1,1 ponto percentual. A pesquisa compara os biênios 2007-2008 e 2017-2018.

Leia mais: “Boletim Focus: mercado projeta crescimento maior do PIB em 2021”

-Publicidade-

O economista-chefe da CNI, Renato da Fonseca, pontua que São Paulo continua sendo o principal produtor industrial do país, mas a indústria brasileira tem migrado do Sudeste principalmente para as regiões Sul e Nordeste. São Paulo responde por 38,14% do valor adicionado da Indústria de transformação, o segundo colocado, Minas Gerais, tem 10,10%.

“Essa diversificação regional é um movimento positivo, porque observamos o desenvolvimento econômico de outros Estados. A indústria usualmente paga os melhores salários e fermenta indústrias menores dentro da mesma cadeia produtiva e alavanca os outros setores, como o de serviços”, avalia o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

Pará foi o Estado que mais ganhou espaço na produção industrial nacional total, em razão do crescimento de sua indústria extrativa, sobretudo da extrativa mineral. Aumentou 1,5 ponto percentual. Junto com o Pará, Rio Grande do Sul, Paraná, Pernambuco e Mato Grosso do Sul, formam o grupo dos cinco Estados de melhor desempenho.

Participações dos Estados na Indústria | Foto: Reprodução/CNI
Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários

  1. Com o Dorinha a frente do governo de São Paulo aumentando como um maniaco os impostos, não vai sobrar nenhuma empresa aqui, só a cracolandia , esta ai não para nunca.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro