Evangélicos reclamam do governo, mas barraram indicado ao Ministério da Educação

Bancada evangélica ajudou a elaborar dossiê contra o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder. Evangélicos disputam indicação para a pasta
-Publicidade-
 secretário de Educação do Paraná, Renato Feder | Foto: Reprodução/Redes Sociais
secretário de Educação do Paraná, Renato Feder | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Bancada evangélica ajudou a elaborar dossiê contra o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder. Evangélicos disputam indicação para a pasta

Renato Feder - bancada evangélica - evangélicos - ministério da educação
secretário de Educação do Paraná, Renato Feder | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Os evangélicos não têm lá muito o que reclamar do governo. Pelo menos é o que acusa o entorno político do secretário de Educação do Paraná, Renato Feder. Interlocutores dizem a Oeste que, por conta da bancada evangélica, ele não assumiu o Ministério da Educação.

-Publicidade-

O presidente Jair Bolsonaro recebeu de assessores um dossiê que apontava Feder como incompatível com as bandeiras do governo. Entre os pontos elencados destacavam acusações de produção de apostilas que incentivariam a ideologia de gênero na educação paranaense.

Tais suspeitas bloquearam sua nomeação. O ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, e a deputada federal Bia Kicis, vice-líder do governo no Congresso, chegaram a confirmá-lo em publicações no Twitter. O que Oeste apurou, entretanto, é que o dossiê apresentado a Bolsonaro tem a digital da bancada evangélica.

Alguns deputados integrantes da bancada evangélica usaram a influência que ainda têm para barrar a nomeação de Feder. E fizeram por meio do encaminhamento de informações a assessores de Bolsonaro, que compilaram o material para apresentar ao presidente da República.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Ser evangélico não deve ser pré requisito pra nada. Feder, até onde se sabe, não está alinhado com a política do governo atual. Não tem espaço.

  2. Na boa, o Feder foi triturado nas redes sociais pelos próprios eleitores de Bolsonaro. Foi um chuva de denúncias contra ele!! Sem condições de indicação.
    Pais curitibanos denunciaram sua gestão na secretaria de educação e sua doutrinação esquerdista.
    FAZER CAMPANHA CONTRA OS EVANGÉLICOS NÃO DÁ, NÉ?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.