-Publicidade-

Ex-governador do DF Agnelo Queiroz na mira da Justiça

Petista é suspeito de receber R$ 462 mil em propinas por fraudes na compra de leitos hospitalares quando comandou o Distrito Federal

Petista é suspeito de receber R$ 462 mil em propinas por fraudes na compra de leitos hospitalares quando comandou o Distrito Federal

agnelo queiroz
O ex-governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz (PT) | Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

O ex-governador do Distrito Federal (DF) Agnelo Queiroz (PT) e seu ex-secretário de Saúde Rafael Barbosa são alvo, na manhã desta quinta-feira, 23, da Operação Alto Escalão. A dupla, é suspeita de receber R$ 462 mil em propinas.

Em síntese, os agentes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) apuram suposta fraude na compra de leitos hospitalares na gestão do petista. Agentes cumprem 13 mandados de busca e apreensão — um deles na casa de Queiroz.

Leia também: Iabas é alvo de operação da polícia

Repasses ilegais teriam sido feitos em 2014, ainda no governo do petista. Uma mala dinheiro foi apreendida na casa de Adriana Zanini, vice-presidente do Instituto Brasília Para o Bem-Estar do Servidor Público (IBESP), também alvo da operação.

Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Criminal de Brasília, depois de informações fornecidas em uma delação premiada. Dessa forma, os depoimentos sugeriram a existência de um contrato fictício de publicidade, assinado entre a secretaria de Saúde e o IBESP.

Saiba mais

A Alto Escalão é um desdobramento da Operação Checkout, que gerou denúncias contra servidores da saúde. Assim sendo, eles teriam sido beneficiados ilicitamente por empresas com pacotes de turismo, como contrapartida pela contratação de leitos.

-Publicidade-
Envie-nos a sua opinião, sugestão ou crítica! Fale conosco
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês