‘Foi de uma tremendo desrespeito o que o deputado falou’, diz sobrevivente da boate Kiss

Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul vai investigar as falas do deputado federal Bibo Nunes

A Oeste depende dos assinantes. Assine!

-Publicidade-
Gabriel Ravadoschi Barros, sobrevivente da Boate Kiss. Foto: Reprodução
Gabriel Ravadoschi Barros, sobrevivente da Boate Kiss. Foto: Reprodução

Aos 28 anos, o doutorando em Distúrbios da Comunicação Gabriel Ravadoschi Barros pela Universidade Federal de Santa Maria (USFM) é um sobrevivente da Kiss. O incêndio, que em janeiro de 2013 deixou 242 mortos na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, ganhou as manchetes políticas nacionais nesta sexta-feira, 21, quando o deputado federal Bibo Nunes (PL-RS) afirmou que os estudantes da universidade merecem ser queimados vivos. 

A declaração do parlamentar, que não conseguiu a reeleição na eleição deste ano, foi feita por meio de uma rede social. No mesmo vídeo, o parlamentar ainda chamou os estudantes de “inúteis”, “lixo”, “escória” e até de “débeis mentais”.

“Essa declaração do deputado me fere em múltiplas esferas. Como sobrevivente da Kiss, como estudante da UFSM e como morador de uma cidade marcada pela tragédia. É um absurdo que um tipo de declaração dessas seja feita e depois venha a desculpa que ela foi mal entendida”, disse o sobrevivente Gabriel Barros a Oeste.

-Publicidade-

Passados quase dez anos da tragédia da Boate Kiss, Barros é atualmente presidente da Associação de Familiares das Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM). Ele, que tomou conhecimento do vídeo nesta sexta-feira, defende a responsabilização do deputado pelas suas  manifestações públicas.

“O mínimo que se exige de um parlamentar é que ele leve a sério o poder da palavra. Precisamos que os jovens tenham a vida preservada, que se prime pela segurança e que todos lutem para que tragédias como a Kiss jamais se repitam. Foi de uma tremendo desrespeito o que o deputado falou”, afirmou o sobrevivente.

A revolta do sobrevivente é corroborada por Flávio Silva. Pai de uma das vítimas fatais da Boate Kiss, Silva disse a Oeste que manifestações como a feita pelo parlamentar incitam ainda mais a polarização política já vivida atualmente no país.

“Me deu uma revolta tão grande quando ouvi essa fala do deputado que cheguei a ter náusea. Uma pessoa que deveria dar exemplo fica incitando a violência. Essa agressão não é só contra as vítimas e familiares, é contra a nossa democracia”, disse o pai da vítima.

Dos 242 jovens mortos no incêndio na boate, 113 eram estudantes da Universidade Federal da Santa Maria. Outras 613 pessoas ficaram feridas no incêndio. Em nota, a Associação de Familiares das Vítimas e Sobreviventes da Tragédia afirmou que o deputado “demonstrou total desconsideração pela memória e história da cidade, marcada pela tragédia-crime da Boate Kiss”.

“Demonstrou, também, não sentir absolutamente nada pelas nossas perdas, violentando nosso luto e indo na contramão do nosso propósito, que é lutar em prol da vida e segurança de todos”, informa a Associação. E complementa:

“Promover ódio é desonrar a memória das vítimas e sobreviventes, que muitos naqueles momentos torturantes e de desespero do incêndio na Kiss não se detiveram e voltaram para salvar amigos”.

MPF vai investigar falas do deputado

O Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul (MPF-RS) vai investigar as falas do deputado federal Bibo Nunes. A representação contra Nunes foi feita pelo presidente da Assembleia Legislativa do Estado, deputado Valdecir Oliveira (PT-RS), e pelo radialista e ex-vereador Luciano Guerra (PT-RS), na sexta-feira 21. No mesmo dia, o MPF emitiu um parecer para abertura da investigação.

O deputado tem um prazo de dez dias, contados a partir de sexta-feira 21, para apresentar informações adicionais à procuradoria em sua defesa.

Sobrevivente e familiares foram atacados

Em declaração feita em uma rede social nesta quinta-feira, 20, o deputado federal Bibo Nunes (PL-RS) criticou os alunos por atos em protesto ao presidente da República e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), devido a cortes financeiros na área da educação.

“Ser rico e não ter noção, como esses aí. É o filme ‘Tropa de Elite’. Sabe o que aconteceu? Olha o filme ‘um’. Pegaram aqueles coitadinhos, aqueles riquinhos ajudando pobre e que se deram mal e queimaram vivos. Queimaram vivo dentro de pneus, queimaram vivo, e é isso que esses estudantes alienados, filhos de papai e que têm grana merecem. Não que eu queira isso, mas eles merecem porque eles estão arriscando acabar com o nosso Brasil”, disse o deputado.

Ainda nesta sexta-feira, o Ministério Público afirmou que instaurou um procedimento para averiguar a manifestação do parlamentar. Na Câmara dos Deputados, a bancada do PSOL informou que ingressou com uma denúncia contra o parlamentar no Conselho de Ética da Casa.

Leia a nota da AVTSM

NOTA DE REPÚDIO
Na quinta-feira, 20 de outubro, chegou ao nosso conhecimento a fala do deputado Bibo Nunes, promovendo o ódio e desejando a morte de jovens estudantes. Ao dizer que os estudantes merecem ser “queimados vivos”, além de desumanizar e desprezar por completo os estudantes da Universidade Federal de Santa Maria, demonstrou total desconsideração pela memória e história da cidade, marcada pela tragédia-crime da boate Kiss, em que 242 jovens, dentre eles mais de 100 estudantes da mesma universidade, faleceram no incêndio.

Demonstrou, também, não sentir absolutamente nada pelas nossas perdas, violentando nosso luto e indo na contramão do nosso propósito, que é lutar em prol da vida e segurança de todos. A juventude de Santa Maria é marcada pelas cicatrizes da tragédia e ainda busca formas de viver e lidar com as consequências traumáticas da nossa história. As ofensas à vida proferidas pelo deputado são uma barbárie e ferem a toda humanidade de uma nação. Jamais aceitaremos a naturalização da insanidade, da violência e da desumanidade. Não aceitamos a desculpa de “mal
entendido” de quem proferiu as frases que disse, na íntegra, e que faz do uso da palavra sua profissão.

Aos familiares de vítimas, sobreviventes, amigos de vítimas e santamarienses em geral, saibam que jamais abriremos mão de lutarmos pela honra
e memória de nossos filhos e amigos que perdemos. Promover ódio é desonrar a memória das vítimas e sobreviventes, que muitos naqueles momentos torturantes e de desespero do incêndio na Kiss não se detiveram e voltaram para salvar amigos. A esses jovens heróis não podemos aceitar a covardia da desumanização pela palavra, pois, palavras como tais proferidas resultam em novas tragédias.

Santa Maria, 21 de Outubro de 2022
Gabriel Rovadoschi Barros
Presidente da AVTSM
Sobrevivente do incêndio na Boate Kiss
Doutorando na Universidade Federal de Santa Maria

 

Leia também: “Os 242 de Santa Maria” reportagem de Silvio Navarro para a Edição 89 da Revista Oeste.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

8 comentários Ver comentários

  1. Amigos, é evidente que o Deputado Bibo Nunes não expressou as palavras alegadas com a conotação de “discurso de ódio”(novo termo usado pela esquerda comunista, sanguinária). É uma praxis sórdida desses oportunistas fazer discurso politico subindo em caixões. É deplorável que membros do MP RS, oriundos em grande número do aparelhamento comunista na educação universitária pública do País, sejam tão néscios.

  2. Assisti ao vídeo e não vi, em momento algum, qualquer menção ao incêndio da boate Kiss. Estão aproveitando uma fala ruim do deputado, onde generalizou um comportamento, que pode ser de parte dos alunos da universidade, pois não acredito que todos sejam assim. Estão querendo ligar sua palavras à tragédia daquela boate. Mais uma vez, essa imprensa esquerdopata e maliciosa, querendo criar narrativas em cima de fatos inexistentes. Dia após dia, essa imprensa consegue destruir-se, desmoralizar-se, tornar-se uma figura abjeta e desnecessária no seio da sociedade, simplesmente por falta de credibilidade. As pessoas cansam de procurar notícias e encontrar opiniões inseridas no meio das informações. Isto é mau-caratismo.

  3. Bolsonarismo na sua essência: incitação à violencia, ódio e intolerância. Pior ainda são as justificativas de quem vem passar pano. Esses machos parlamentares, só o são por sua imunidade parlamentar, sem ela são a escória da sociedade. Chegamos a um caminho sem volta, quem tiver condições, que procure uma nação civilizada e se mude o quanto antes. Esquerda ou direita, o real problema está dentro de cada um.

  4. Pelo que entendi dessa treta do deputado com estudantes da UFSM é que o deputado fazia referência ao filme Tropa de Elite I e que esses estudantes de Disturbios da Comunicação que não sei se se trata de uma especialidade de Fonoaudiologia ou de Comunicações de uma maneira geral, mas enfim, os comunicadores não entenderam o que o deputado quis dizer, houve aí talvez uma falta de comunicação entre as partes, enfim, como todo bom petista, levou o caso para a tragédia da boate Kiss, que não tem nada a ver com a discussão. Enfim, é isso aí, quem não se comunica, se trumbica.

  5. A esquerda protestando, então estou ao lado do deputado! Essa escória do tipo do “estudante” de Distúrbios da Linguagem, seja lá o que isso significa, é cria dos cursos estapafúrdios do PT. O resto é mimimi.

  6. Deputado Bibo Nunes: Eu votei e votarei novamente no Bolsonaro. Estou convicto de que ele não aprova as suas palavras. É até razoável supor que o sr. esteja magoado por não ter sido reeleito. O que me surpreende é o fato de o sr. ter sido eleito a primeira vez, se exprimiu seus sentimentos durante a campanha. Nós somos os donos das palavras enquanto estão presas em nossa mente. Mas depois que as externamos ficamos escravos delas, como se diz por aí. Devemos respeitar os mortos e os vivos.

    1. Carlos, você leu a matéria até o final? Viu o que foi dito e qual o contexto? E principalmente viu quem e que partido está acusando?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.