General Heleno nega conversas com a CIA sobre eleições

Ministro do Gabinete de Segurança Institucional admite reunião com agência dos EUA, mas diz que tema não foi tratado
-Publicidade-
General Heleno falou sobre o tema durante <i>live</i> de Bolsonaro na quinta-feira
General Heleno falou sobre o tema durante live de Bolsonaro na quinta-feira | Foto: Reprodução/ Youtube

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, negou na quinta-feira 5 que o governo tenha dialogado com a CIA (Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos) sobre as eleições deste ano.

As declarações do general Heleno aconteceram durante a live do presidente Jair Bolsonaro. O ministro rebateu a versão de que William Burns, diretor da CIA, teria recomendado que o chefe do Executivo evitasse interferências no processo eleitoral, conforme publicado em reportagem da agência Reuters.

Heleno confirmou o encontro com representantes da agência de Inteligência, mas disse que o tema eleições não fez parte da conversa.

-Publicidade-

“Lógico que as conversas que tivemos sobre a área de Inteligência foram extremamente produtivas e muito interessantes. Essa conversa sobre eleições jamais aconteceu”, afirmou Augusto Heleno.

“Isso nunca aconteceu, não houve nenhuma troca de ideias sobre eleições, nem nos Estados Unidos ou aqui. Isso foi uma notícia falsa.”

Segundo a reportagem da Reuters, a conversa entre representantes da CIA e o governo brasileiro aconteceu em julho de 2021, em Brasília, com a presença de Jair Bolsonaro e Augusto Heleno. No encontro, o diretor William Burns teria dito para o presidente “parar de questionar o sistema eleitoral do país”.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

6 comentários Ver comentários

  1. Duvido muito que isto tenha acontecido. Seria interferência inconcebível a um país democrático. Não acredito e se tivesse acontecido, o Gal Heleno o colocaria no seu devido lugar. Nós não interferimos em nenhum país, pelo simples motivo de termos problemas de sobra para nos preocupar com os outros. Com certeza, FAKE NEWS.

  2. Tá bom… Que seja a Reuters a gência responsável por espalhar esse boato, essa mentira, que agora chamam de Fake News. Então me digam, por que cargas d’água esses gringos iriam lucrar com um boato desses, aliás chamaria isso de fofoca mesmo, apenas para mostrar autoridade sobre um presidente já desautorizado até por juizes de primeira instância? Não tem sentido a não ser para os fofoqueiros de plantão.

  3. A Reusters, se foi ela mesma quem noticiou, estaria divulgando uma notícia falsa até porque se o assunto houvesse sido abordado de pronto o Presidente reagiria e essa reação não seria divulgada por essa agência de notícias sob pena de ficar desmoralizada e desacreditada. O que se pode afirmar sem medo de se errar, é que a imprensa mundial caminha para o mesmo buraco dessa política globalista, esquerdista que tem seus dias contados.

  4. Eles fazem fumaça e a imprensa podre mode a isca com muito gosto como exemplo o medíocre Jornal da Cultura com sua tropa de incompetentes !

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.