Gilmar nega ‘habeas corpus’ a acusado de desvio de dinheiro

Decisão foi confirmada pelo STF nesta segunda-feira
-Publicidade-
Gilmar Mendes negou habeas corpus a empresário de SP | Foto: Fellipe Sampaio/STF
Gilmar Mendes negou habeas corpus a empresário de SP | Foto: Fellipe Sampaio/STF | gilmar mendes nega habeas corpus a empresário

Decisão foi confirmada pelo STF nesta segunda-feira

gilmar mendes nega habeas corpus a empresário
Gilmar Mendes negou habeas corpus a empresário de SP | Foto: Fellipe Sampaio/STF
-Publicidade-

Um empresário acusado de desvio de verba da Saúde dos Estados de São Paulo e Pará não teve habeas corpus concedido por Gilmar Mendes. Em decisão divulgada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira, 23, o ministro entendeu que o assunto precisaria ser analisado por instâncias inferiores do Poder Judiciário.

Leia mais: “Nunes Marques estreia no STF com voto contrário à Lava Jato”

Dessa forma, Mendes manteve a prisão de Luciano Colicchio Fernandes, dono de distribuidora de alimentos e medicamentos na região de Araçatuba (SP). Alvo da Operação Raio-X, Fernandes está preso preventivamente no Centro de Detenção Provisória de Lavínia (SP). Ele é acusado de organização criminosa e lavagem de dinheiro. De acordo com investigações, ele assinava contratos fraudulentos com organizações sociais de saúde.

Na tentativa de fazer seu cliente deixar a prisão, o advogado Roberto Podval alegou que Fernandes sofreu “constrangimento ilegal, em razão da falta de fundamentação concreta do decreto prisional”. Mendes observou o fato de tal argumentação não ter sido relatada ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) e ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

“Fortes suspeitas”

Em sua decisão contrária ao pedido do empresário, Gilmar Mendes afirmou que Luciano Colicchio Fernandes está preso porque há “fortes suspeitas” contra ele. O ministro do STF ainda destacou haver “indícios robustos e documentados” de que o alvo da Operação Raio-X teria cometido crimes.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 comentários

  1. Mas é um abuso, um vagabundo comum sem foro privilegiado quer ser julgado diretamente pelo STF. Será porque hem. Ainda pulando todas outras instâncias inferiores.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site