-Publicidade-

Governador petista decreta toque de recolher na Bahia

Quem descumprir as regras poderá ser preso e vai responder por crime contra a saúde pública
Atividades "não essenciais" serão suspensas
Atividades "não essenciais" serão suspensas | Foto: Carlos Casaes/Estadão Conteúdo

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), anunciou que o Estado instituirá “toque de recolher” em razão do avanço do coronavírus. A medida entra em vigor na sexta-feira 19, terá duração de sete dias e abrangerá a capital, Salvador, e diversas cidades do interior. Segundo o decreto publicado no Diário Oficial nesta quarta-feira, 17, será proibida a circulação de pessoas entre as 22 e as 5 horas. Nesse período, as “atividades não essenciais” interromperão os serviços. Além disso, as forças de segurança vão fiscalizar o comércio e as ruas — quem descumprir as regras poderá ser preso e vai responder por crime contra a saúde pública.

“O objetivo é evitar a convivência em bares, bebidas, carros de som, aquelas aglomerações na madrugada que geram muita contaminação, porque, em geral, estão associadas a bebidas alcoólicas. Portanto, há descuido nas relações de convivência. Com isso, nós esperamos preservar vidas humanas, garantir leitos hospitalares para quem precisar”, declarou Costa, em vídeo publicado nas redes sociais, na terça-feira 16. O governador sinalizou, ainda, que pode dobrar a aposta, caso a população desobedeça à determinação. “Se a situação se agravar, ampliaremos o horário do toque de recolher: em vez de 22 horas, pode ser 20 horas, pode ser 18 horas”, ameaçou Costa.

Leia também: “Perdendo a paciência”, artigo de Augusto Nunes e Silvio Navarro publicado na Edição 41 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês