-Publicidade-

Governadores e prefeitos deram reajuste ilegal a servidores

Levantamento é do Ministério da Economia
Lei complementar de socorro barra reajustes
Lei complementar de socorro barra reajustes | Foto: Marcello Casal/Agência Brasil

O Distrito Federal, seis Estados e 54 municípios concederam reajuste, bônus ou gratificação ao funcionalismo público e à cúpula do Executivo e do Legislativo. É o que informou o Ministério da Economia em nota técnica obtida pelo jornal O Estado de S. Paulo. As medidas, porém, são irregulares porque está em vigor a lei complementar 173 que proíbe tais benefícios. Ao todo, são 99 violações praticadas por governadores, prefeitos e assembleias, incluindo nomeações para novos cargos. Em alguns entes federativos, há mais de uma violação.

“União pagou R$ 1,3 bilhão de dívidas de Estados em fevereiro”

A pesquisa foi feita pela Coordenação-Geral das Relações e Análise Financeira dos Estados e Municípios do Tesouro. Como exemplos, os técnicos citam a cidade de São Paulo, que aprovou, em dezembro de 2020, lei que elevou a remuneração do prefeito, do vice-prefeito e dos secretários municipais, a partir de 2022. Na mesma linha, Manaus e o Estado do Amazonas, aprovaram dispositivos legais que estabeleceram, respectivamente, o aumento da remuneração do prefeito e dos vereadores e a criação de cargos em comissão na Assembleia Legislativa.

Leia também: “PIB decepciona as cassandras”, artigo de Guilherme Fiuza publicado na Edição 50 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comentários

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.