Governo apresenta hoje plano nacional de imunização

Ministério da Saúde estima que o processo deve ser concluído em 16 meses
-Publicidade-
Foto: Mateus Bonomi/Estadão Conteúdo
Foto: Mateus Bonomi/Estadão Conteúdo | Foto: Mateus Bonomi/Estadão Conteúdo

Ministério da Saúde estima que o processo deve ser concluído em 16 meses

governo anuncia hoje plano
Medida prevê a imunização em quatro fases | Foto: Mateus Bonomi/Estadão Conteúdo
-Publicidade-

O Ministério da Saúde apresenta nesta quarta-feira, 16, o plano nacional de vacinação contra o coronavírus. Segundo a pasta, o processo deve ser concluído em 16 meses — quatro para vacinar grupos prioritários e, em seguida, 12 meses de modo a imunizar a população geral. A informação foi entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela Advocacia-Geral da União em resposta a um pedido do ministro Ricardo Lewandowski. Na sexta-feira 11, o juiz do STF pediu dados complementares acerca do plano de imunização. O magistrado é relator de dois processos sobre o tema, ambos movidos por partidos de esquerda.

Leia também: Precisamos esperar por uma vacina? O tratamento precoce salva vidas

Etapas

O governo estima que a imunização de cada grupo prioritário levará cerca de um mês, já considerando a aplicação de duas doses por indivíduo. O plano prevê a distribuição dos grupos em quatro fases:

1ª: trabalhadores de saúde, pessoas com idade acima de 75 anos, pessoas de 60 anos ou mais que estejam institucionalizadas (em abrigos ou asilos, por exemplo) e indígenas (29,9 milhões de doses);

2ª: pessoas de 60 a 74 anos que não estejam em instituições de longa permanência (44,8 milhões de doses);

3ª: pessoas com comorbidades (26,5 milhões de doses);

4ª: professores (nível básico ao superior), forças de segurança, salvamento e funcionários do sistema prisional (7 milhões de doses).

“Da fase inicial até o término da vacinação dos quatro grupos prioritários, estima-se lapso temporal aproximado de quatro meses, ou seja, cerca de trinta dias para conclusão de cada um dos grupos prioritários”, informou o Ministério da Saúde, no documento enviado ao STF.

Passados esses quatro primeiros meses, se o cronograma for mantido, começam a contar os 12 meses para a imunização da população em geral. A papelada prevê a disponibilização de 108,3 milhões de doses para mais de 51 milhões de pessoas dos grupos mencionados anteriormente.

O plano é dividido em 10 eixos, entre os quais vacinas, o orçamento para viabilizar a vacinação e comunicação. Conforme noticiou Oeste, ainda não há imunizantes com a chancela da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa.

Leia o documento enviado ao STF

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.