Governo não obtém seringas suficientes para vacinação

Das 331 milhões de unidades que a pasta pretendia comprar, só conseguiu oferta para adquirir 7,9 milhões
-Publicidade-
Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo
Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo | Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

Das 331 milhões de unidades que a pasta pretendia comprar, só conseguiu oferta para adquirir 7,9 milhões

governo não obtém seringas
Dos quatro itens procurados, três não tiveram propostas válidas | Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo
-Publicidade-

O Ministério da Saúde não alcançou a quantidade de seringas previstas para a imunização contra a covid-19 no Brasil. Das 331 milhões de unidades que a pasta pretendia comprar, só conseguiu oferta para adquirir 7,9 milhões no pregão eletrônico realizado na terça-feira 29. O número corresponde a 2,4% do total de unidades que a pasta desejava obter. É o que informou o jornal O Estado de S. Paulo. O ministério buscava ofertas para conjuntos de seringas e agulhas de diferentes tipos. Dos quatro itens procurados, três não tiveram propostas válidas. Nesses casos, os preços oferecidos podem ter superado valores fixados pelo ministério ou as empresas não apresentaram a documentação necessária. O quarto item teve lance válido apenas para parte do que era ofertado. O governo vai abrir outro edital para conseguir os produtos, porém, a data não foi divulgada.

Leia também: “Vacina da Oxford é aprovada pela ‘Anvisa do Reino Unido’”

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 comments

  1. “É o que informou o jornal O Estado de S. Paulo.”
    Fico triste quando leio essas coisas.Será que a Revista Oeste checou na fonte a notícia do Estadão? Será que a Revista Oeste sabe que o leitor não confia mais na mídia tradicional? Será que a Revista Oeste não tem capacidade de correr atrás das suas próprias notícias sem precisar da ” grande mídia”?
    Aí fica difícil assinar a revista.

      1. Também não tenho mais a mínima confiança na grande mídia. Hoje, minha principal fonte de informação são veículos do tipo da Revista Oeste e congêneres. Assim, concordando com o questionamento acima, gostaria de ter um esclarecimento deste excelente noticioso, do qual sou assinante e pretendo continuar.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site