Governo mira ‘organizações criminosas’ do campo

Integrante do Ministério da Agricultura dispara críticas contra o MST
-Publicidade-
MST e outras entidades foram classificadas por secretário especial do Ministério da Agricultura como "organizações criminosas"
MST e outras entidades foram classificadas por secretário especial do Ministério da Agricultura como "organizações criminosas" | Foto: Divulgação

Além de criticar o jornal Folha de S. Paulo, a live desta quinta-feira, 10, produzida pelo presidente Jair Bolsonaro serviu para destacar ações do governo federal no âmbito da reforma agrária. Para isso, o mandatário do país esteve ao lado de outras duas autoridades: o presidente do Incra, Geraldo Melo Filho, e o secretário especial de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Luiz Antônio Nabhan Garcia.

Leia mais: “Frente Parlamentar da Agropecuária tem novo comando”

Inicialmente, a participação da dupla na transmissão on-line estava prevista para comentar o Programa Titula Brasil, projeto lançado pelo Mapa na última semana. Em sintonia com as informações disponibilizadas pela página da pasta na internet, eles destacaram o intuito de regularizar propriedades rurais hoje sob domínio da União. Para isso, o governo contará com parcerias com municípios para entregar títulos dessas terras às famílias que trabalham nelas.

-Publicidade-

“São fora da lei”

Nabhan Garcia não se restringiu, entretanto, a falar sobre como funcionará o Programa Títula Brasil. Ele disparou críticas contra o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e a Via Campesina. Além das extintas Ligas Camponesas, as duas entidades foram classificadas pelo secretário como “organizações criminosas”. Para ele, esse tipo de movimento serve para invadir propriedades rurais e promover “terrorismo no campo”. “São fora da lei”, enfatizou.

Invasões de terras

Nesse sentido, o secretário especial de Assuntos Fundiários afirmou que desde o início da gestão Bolsonaro o MST e entidades similares deixaram de contar com repasses financeiros vindos do governo federal. Por fim, ele comemorou o fato de o Brasil ter avançado contra invasões de propriedades rurais. Na live, comemorou o fato de somente cinco casos terem sido registrados em todo o país ao decorrer do ano passado. “Quase zeramos esse problema”, comemorou.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários

    1. Movimento político, utilizado pelo PT pra manter a militância ativa no campo!
      Precisa ser extinto o quanto antes. É um foco terrorista, como o MTST do Boulos também é!

  1. Não existem dúvidas de que esses movimentos, resquícios das tentativas comunistas de ganhar terreno nas áreas rurais, ainda em uso pelos partidos constituídos por marginais, são criminosos.
    O direito a propriedade não será definido com sangue, não somos mais uma civilização tão precária a esse ponto, mesmo que os parlamentares de esquerda tentem nos fazer parecer ser!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro