Guedes fala em retomada em ‘V’ e diz que país não deve ter 2ª onda

Ministro da Economia alertou para a necessidade de avançar em reformas
-Publicidade-

Ministro da Economia alertou para a necessidade de avançar em reformas

Guedes
Ministro da Economia, Paulo Guedes | Foto: Hoana Gonçalves / ME
-Publicidade-

O ministro da Economia, Paulo Guedes, avaliou nesta quinta-feira, 29, que o panorama atual não indica uma “segunda onda” de contágio de covid-19 no Brasil, mas garantiu que o governo terá os instrumentos necessários para enfrentar a doença caso ela se estenda por mais um ou dois anos.

Guedes considerou que a única solução para a covid-19 é a vacina e alertou para a necessidade de avançar em reformas para que o governo tenha mais fôlego para enfrentar uma eventual segunda onda da doença em 2021.

LEIA MAIS: Usiminas tem lucro líquido de R$ 198 milhões no terceiro trimestre

“A dívida bruta já caminha para 100% do PIB, mas se houver uma segunda onda daremos resposta e encontraremos os recursos necessários. É como uma guerra, e se a guerra durar 3 anos vamos enfrentar, mas esse não é o plano A. O que vemos no momento é doença descendo e economia voltando”, afirmou, em audiência pública no Congresso.

O ministro mais uma vez afirmou que se o auxílio emergencial tivesse um valor menor, de R$ 200 a R$ 300, o governo conseguiria mantê-lo por mais dois ou três anos em caso de continuidade da pandemia.

“O que controla o alcance do auxílio é o fôlego fiscal. Temos fôlego até o fim de 2020, a partir daí é um ponto de interrogação. Não podemos estender medidas como se não houvesse amanhã, não contem comigo. Contem comigo para uma resposta correta politicamente e responsável”, acrescentou.

Retomada

Guedes afirmou que a retomada da economia não está sendo num formato de V da Nike como inicialmente pensou, mas “V mesmo”, em referência a uma recuperação mais acelerada.

Ele disse esperar um novo resultado positivo para o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) de setembro, que será divulgado nesta quinta, às 16 horas.

Com informações do Estadão Conteúdo

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

  1. Não haverá segunda onda ? Não posso concordar nem discordar.
    Mas que vai haver CPMF após as eleições, tenho absoluta certeza.
    os politicos estarão eleitos e precisarão de mais e mais dinheiro.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site