Guedes rebate críticas de economistas sobre ‘violação’ do teto de gastos

Ministro não poupou Mailson da Nóbrega, Afonso Pastore nem Henrique Meirelles
-Publicidade-
Guedes não gostou das críticas que recebeu de economistas
Guedes não gostou das críticas que recebeu de economistas | Foto: Antonio Molina/FotoArena/Estadão Conteúdo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, rebateu as críticas que vêm sofrendo de economistas em virtude da flexibilização do teto de gastos. O ex-ministro Mailson da Nóbrega, o economista Afonso Pastore e o secretário da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo, Henrique Meireles, não foram poupados.

Mailson da Nóbrega

“Ele levou o Brasil para a inflação de 5.000% com a política de feijão com arroz”, disse Guedes.

-Publicidade-

Afonso Pastore

“Pastore é bom amigo, tem passado razoável”, observou o ministro. “Ele não está entendendo o que estamos fazendo.”

Henrique Meirelles

“Meirelles trabalha em qualquer partido, a qualquer hora”, criticou Guedes, ao lembrar que o ex-ministro da Fazenda concedeu três aumentos de salário para o funcionalismo público, deixando a conta para o governo Bolsonaro.

Acompanhe na íntegra as declarações do ministro

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.