Heleno: ‘Manifestações extremistas são condenáveis e têm de ser desencorajadas’

Em entrevista ao Opinião no Ar, da RedeTV!, chefe do GSI alerta para os riscos de o Brasil voltar a ser governado pela esquerda
-Publicidade-
O general Augusto Heleno, ministro-chefe do GSI, foi entrevistado no programa <i>Opinião no Ar</i>
O general Augusto Heleno, ministro-chefe do GSI, foi entrevistado no programa Opinião no Ar | Foto: Reprodução/YouTube

Em entrevista ao programa Opinião no Ar, exibido pela RedeTV! nesta segunda-feira, 21, o general Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), demonstrou preocupação com grupos extremistas de esquerda que se organizam contra o governo do presidente Jair Bolsonaro.

Heleno defendeu a legitimidade de protestos, desde que comprometidos com a democracia e sem atos de violência. No sábado 19, vários setores da esquerda foram às ruas para pedir o impeachment de Bolsonaro.

Leia mais: “‘Militares têm obrigação de garantir a liberdade’, afirma Bolsonaro”

-Publicidade-

Silvio Navarro, editor-executivo de Oeste, e Rodrigo Constantino, colunista da revista, participaram da entrevista. O programa é apresentado por Luís Ernesto Lacombe e também conta com a participação da jornalista Amanda Klein.

“Essas manifestações extremistas são condenáveis e têm de ser desencorajadas. Isso é péssimo para o país, não é solução”, disse o ministro do GSI. “A primeira coisa que a gente pede é que não haja conflitos, depredações. Isso é extremamente negativo e mostra que algumas pessoas não estão preparadas para um regime democrático pleno.”

Leia também: “Deputado do PT publica foto antiga como se fosse de ato anti-Bolsonaro”

Segundo o general Heleno, “o presidente tem dito muito bem que o grande bem do povo é a liberdade”. “Isso tem de ser respeitado. As manifestações dos dois lados são bem-vindas, desde que sejam voltadas para o regime democrático”, afirmou.

OS RISCOS DO SOCIALISMO
Durante a entrevista, Heleno falou sobre os riscos para a democracia brasileira de que o país volte a ser governado por setores da esquerda que têm simpatia por regimes totalitários. “Estamos enfrentando uma polarização que eu gostaria que fosse até ideológica, mas que não incluísse a possibilidade de virarmos um país socialista ou comunista. Essa é uma péssima opção, já foi demonstrada no mundo inteiro”, disse o ministro. “Nós conseguimos interromper um ciclo que já durava aproximadamente 20 anos em que o país caminhava celeremente para o socialismo.”

Sem citar o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o chefe do GSI afirmou: “O que assusta mais, no meu caso, é perceber do outro lado a popularidade de gente que foi condenada e que infelizmente está totalmente inundada em situações de corrupção e desvio de recursos públicos e está atraindo, segundo as pesquisas, uma parte significativa da população”.

Leia também: “Em tom de campanha, Bolsonaro participa de ato com Malafaia no Pará”

Indagado sobre uma possível queda na popularidade de Bolsonaro registrada por algumas pesquisas, o general Heleno classificou o fato como “natural” após um ano e meio de pandemia de covid-19. “Mas há sempre uma desconfiança em relação às pesquisas. A receptividade que ele [Bolsonaro] tem tido em todos os lugares em que comparece deixa a gente com um pouco de pé atrás em relação às pesquisas”, disse o ministro.

CPI DA COVID
Sobre a comissão parlamentar instalada no Senado para investigar as ações do governo federal durante a pandemia, Heleno admitiu estranhamento com alguns nomes que compõem o colegiado. “A escolha dos integrantes da CPI foi norteada pelo Senado Federal. Realmente, a própria população estranhou aqueles que foram escolhidos para conduzir a CPI”, afirmou. “A impressão é que a CPI já chegou com um relatório pronto. Isso é muito triste. A CPI é para investigar um assunto e não para provocar declarações que estejam de acordo com esse relatório.”

Leia também: “CPI da Covid: Nise Yamaguchi entra com ação por danos morais contra senadores”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

12 comentários

  1. Não existe risco de o Brasil voltar a ser governado pela esquerda. O Brasil JÁ É GOVERNADO PELA ESQUERDA. Até os doidos de hospício sabem disso, mas parece que os animais da imprensa e esse militar que parece morar em Marte ainda não perceberam. Continuem com esses modos fofinhos com a esquerda pra ver onde vamos parar.

    1. Concordo plenamente com o seu ponto de vista Renato Perim. Deixem de bla bla bla e desçam o porrete, prendam esses vagabundos, começando por aqueles lá do outro lado da rua……Conversar com esquerdistas, com comunistas, e extremistas, na tentaiva de falar de democracia é como chutar gato morto. Estamos bobeando……..

      1. Finalmente achei uma pessoa com neurônios que funcionam, Noel, como está difícil achar quem enxergue as coisas como elas realmente são. Não adianta querer negociar com esquerdistas, são como terroristas, não há negociação possível. Tem que bater o pau na mesa e botar pra torar.

  2. Manifestações de esquerdopatas ou de quem quer que sejam não podem ser desencorajadas: afinal ainda não estamos numa democracia não é, general? Os que tem que ser punidos, são os que promovem balbúrdia nas vias públicas, como vimos no último sábado. Vamos separar as coisas aí, tá ok? Pelo visto e infelizmente para minha contrariedade, ainda terei que votar no candidato anti-Lula em 2022, quando isso irá mudar?… Paciência!

  3. A extrema esquerda não reconhece o Estado de Direito. Seu principal objetivo é subvertê-lo e derrubá-lo para implantar um estado de exceção. É isso que as cabeças ditas “pensantes”, que se classificam como “esquerda-liberal” (uma contradição em si) não conseguem entender. Por isso, imaginar manifestações ordeiras e pacíficas da extrema esquerda só pode acontecer na cabeça de quem acredita em unicórnios, duendes e fadas-madrinhas.

  4. Sobre popularidade e “pesquisas”, o que eu posso recomendar é: acredite no que você vê, e não no que te dizem. O que você vê você pode analisar e identificar, ou não, as interferências de grupos interessados em demonstrar isso ou aquilo. Inúmeros e enormes balões vermelhos e faixas bem produzidas, possivelmente comprados com dinheiro público que inundava ONGs e sindicatos, por exemplo, mostram o desejo de encorpar manifestações ocupando espaços das imagens que deveriam ser ocupados por gente. Numa pesquisa, jamais saberemos quais foram as influências. Lembro que, no tempo da Dilma, veio a público um desentendimento entre diretores do Datafolha sobre a prática da interferência nas pesquisas, e eu li sobre isso na própria Folha. E houve o caso do números que, somados, ultrapassavam 100%. Coisas que deixaram dúvidas sobre a seriedade dessas pesquisas. A partir daí, o público passou a questionar mais e perceber incongruências entre os números divulgados e o mundo que se vê. Sem falar nas contradições entre diferentes pesquisas feitas no mesmo momento. Tudo lixo! Engodo! No fim das contas, o que vale é o que se vê, e isso tem que bater com a apuração. Daí a importância do voto auditável.

    1. O que disse aquele ministro tucano do STF, oriundo de Diamantino/MT, tempos atrás? Que o PT teria dinheiro para financiar sua eleições até 2034, não é isso? Pois é.

  5. Sobre a CPI, não resta dúvida a ninguém de que se trata de mais uma fraude política da ditadura de extrema esquerda que governa o país através do STF e da militância no Judiciário e no Ministério Público. Um circo montado para impor uma narrativa claramente falsa, para tentar inviabilizar o prosseguimento do governo conservador, um governo que na verdade, desde o início, é apenas simbólico. Inefetivo, a não ser em áreas que não conflitem com as posições ideológicas da extrema esquerda, como é o caso da infraestrutura. Nas demais áreas, quem governa de fato é a esquerda, repito, através da Suprema Corte, como ocorreu na Venezuela na transição entre o regime constitucional e o regime socialista. Aqui estamos seguindo o mesmo roteiro, finalizando com o retorno de Lula em uma eleição que já se anuncia indefensável. O futuro do Brasil, mais do nunca, parece estar nas mãos dos militares, como também ocorreu na Venezuela. Lá eles optaram pela cleptocracia socialista.

  6. Acredito que o General Heleno é um grande patriota e está preocupado com o Brasil, mas ele está totalmente equivocado em acreditar que a esquerda quer debate ideológico. Nunca foi o objetivo deste pessoal discutir ideias, muito pelo contrário, o objetivo de vida desse pessoal desprezível é a implantação do regime que mais matou (e continua matando) no mundo e acabar com todos os valores que sustentam o ocidente.
    É urgente a criminalização do comunismo, nos termos do PL 5358/2016 de autoria do Dep. Eduardo Bolsonaro. Acredito que se conseguirmos voto impresso, teremos a reeleição do Presidente Bolsonaro e um congresso de maioria conservadora que consiga livrar o país da foice e do martelo, tal como está livre da suástica nazista.
    O comunismo é irmão siamês do Nazismo e deve ser combatido com a mesma veemência por todo cidadão de bem.

  7. E mais. Sobre a inefetividade do governo conservador frente ao governo de fato, o Brasil só não quebrou desde 2019 por conta do Agro, e o agro só não foi destroçado, como foram outros setores da nossa economia, porque é interesse da China, que é parceira da extrema esquerda que governa o Brasil. Hoje o Brasil não passa de uma colônia agrícola da China, que interfere abertamente na política e nas iniciativas legislativas. Derrubou ministros e até pôs sob ameaça a vida de milhares de brasileiros com o boicote do IFA ao Butantan e à Fiocruz. É isso, senhores.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site