Juiz barra evento com Bolsonaro em Presidente Prudente (SP)

Prefeitura iria recepcionar o chefe do Executivo com 2 mil pessoas durante visita a hospital
-Publicidade-
Ação é movida por promotor do Ministério Público do Estado de São Paulo
Ação é movida por promotor do Ministério Público do Estado de São Paulo | Foto: Marcos Corrêa/Fotos Públicas

Darci Lopes Beraldo, juiz da Comarca de Presidente Prudente (SP), proibiu as boas-vindas que a prefeitura do município faria ao presidente Jair Bolsonaro. Marcado para sábado 31, a solenidade contaria com a presença de 2 mil pessoas. Bolsonaro irá à cidade para visitar o Hospital Regional do Câncer. Para isso, o prefeito Edson Tomazini (PSB) organizou um evento.

Marcelo Creste, promotor do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP), entrou com uma ação civil pública para impedir a festa. “Em plena pandemia, o governo municipal de Presidente Prudente pretende fazer um mega evento que não está permitido pelas normas sanitárias estaduais”, argumentou Creste, na ação protocolada na terça-feira 27.

O magistrado concordou. Para ele, a visita de Bolsonaro ao hospital é “benéfica” e não é possível atribuir o delito de violação de medida sanitária ao presidente por aglomerações espontâneas. Já um evento organizado para receber pessoas pode ser barrado. O juiz fixou multa de R$ 2 milhões ao município de Presidente Prudente caso a ordem seja descumprida.

-Publicidade-

Leia também: “Chegada de Ciro Nogueira pode ajudar na aprovação do marco das ferrovias, diz Tarcísio”

Telegram
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro