Justiça volta a proibir consumo de bebidas nos bares de BH

Associação Brasileira de Bares e Restaurantes defende a venda seguindo os protocolos sanitários
-Publicidade-

Associação Brasileira de Bares e Restaurantes defende a venda seguindo os protocolos sanitários

bebida
Garçom serve bebida | Foto: Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo
-Publicidade-

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais tornou sem efeito uma decisão provisória que permitia a venda de bebidas alcoólicas em bares e restaurantes de Belo Horizonte.

A prefeitura da capital mineira trava uma disputa contra a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), que defende o consumo seguindo os protocolos sanitários.

Leia mais: “Da perda do emprego à depressão: o outro lado da pandemia”

Desde segunda-feira 7, a venda de bebidas foi proibida por meio de um decreto do prefeito Alexandre Kalil (PSD) sob a justificativa de prevenir a propagação do novo coronavírus.

Na decisão tomada neste sábado, 13, a desembargadora responsável alegou que cabe ao Executivo a função de planejamento e coordenação das ações de saúde pública.

Em nota, o presidente da Abrasel, Paulo Solmucci, informou que a decisão não leva em conta a situação dramática do setor, e disse estar esperançoso que uma nova decisão em primeira instância permita ao setor reabrir e retomar as atividades.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.