Lewandowski suspende últimas investigações da Lava Jato contra Lula

Decisão vale até que o Supremo decida sobre o requerimento dos advogados para que essas investigações sejam encerradas
-Publicidade-
Ministro Ricardo Lewandowski em sessão da 2ª Turma do STF | Foto: Nelson Jr./SCO/STF
Ministro Ricardo Lewandowski em sessão da 2ª Turma do STF | Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski suspendeu nesta terça-feira, 14, o andamento de duas investigações sobre o ex-presidente Lula abertas na Justiça Federal em Brasília a partir da Operação Lava Jato.

Os processos investigam doações da Odebrecht ao Instituto Lula e a compra do terreno para sediar o instituto e de um apartamento em São Bernardo do Campo.

Leia mais: “Pacheco ‘rejeita sumariamente’ MP de Bolsonaro que limita remoção de conteúdo nas redes”

-Publicidade-

Atendendo a um pedido da defesa do petista, a decisão de Lewandowski vale até que o Supremo decida sobre o requerimento dos advogados para que essas investigações sejam encerradas.

Em sua decisão, o ministro apontou risco de “dano processual irreparável” na tramitação dos processos. Além de barrar novas diligências, a liminar impede o uso de apurações anteriores contra Lula.

No final de junho, Lewandowski já tinha anulado as provas produzidas contra o ex-presidente no acordo de leniência celebrado entre a Odebrecht e o Ministério Público Federal.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

14 comentários Ver comentários

  1. Caíram quaisquer resquícios de pudor que pudessem ainda existir e sem qualquer disfarce, a chamada Suprema Corte do país escancara sua cumplicidade com o crime. Libertem-se todos os corruptos e algemem os juízes que insistam em punir bandidos. Nesses momentos é inevitável o sentimento de vergonha de ser brasileiro.

  2. Agora é só marcar um churrasco com uma semana de duração para todos rirem à vontade da população decente e idiota! Realmente não se sabe quem é mais bandido, ou os marginais assumidos do partido de marginais ou os camuflados de toga!

  3. Lula deverá entrar na tal justiça dos homens contra essa corja que o mecanismo nomeia para defende-lo e solta-lo.
    Retirou-lhe o direito de ir e vir, do convívio entre os homens, delegando o seu viver a uma adega de cachaça.
    Pobre homem é aquele que sentindo-se vivo, foi condenado pelo Reino dos Céus.

  4. Só um otario aceita ser processado, preso e condenado nesse Brasil, paraíso da impunidade o STF acabou com a justiça criminal desse país!

  5. INDIGNAÇÃO é uma coisa que levamos na alma, aperta nossos corações e nunca sairá de nossas mentes .SENHORES MINISTROS A SERVIÇO DO PT, a Sociedade mudou e não esquecerá toda CORRUPÇÃO que envolveu o PT e seus aliados!!!!!!!

  6. Para os amigos a benevolência, para os inimigos a lei.
    E para nós meros cidadãos pagadores de impostos a sensação de impotência.
    Difícil…

  7. Esse STF é a desmoralização da justiça brasileira,prendem pessoas por expressar opinião e soltam bandidos e corruptos🤬🤬🤬

      1. “Ministro do Supremo”, hilário se não fosse nojento! Não acredito só em lealdade ao luladrão, molusco, nove dedos, cachaceiro, pilantra, etc.., mas deve rolar uma boa comissão. Se fosse sério, honesto, verdadeiro Ministro, se declararia impedido de julgar o grande amigo de família e dos tempos do sindicato. Tapa na cara do povo é pouco, tínhamos mesmo é que colocar toda essa gang na cadeia. Putaria, zona de meritricio, balcão de negócios, porta de cadeia, não há nada pior do que esse STF. E querem prender inocentes.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.