-Publicidade-

Líderes defendem isonomia na campanha eleitoral

Em tempos de coronavírus, líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB), pondera que candidatos em grupos de risco terão menos liberdade para estruturar a campanha eleitoral nas ruas do que os demais
Líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB)
Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados
Líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB) Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

Em tempos de coronavírus, líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB), pondera que candidatos em grupos de risco terão menos liberdade para estruturar a campanha eleitoral nas ruas do que os demais

Líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB), quer evitar injustiças durante a campanha
Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

Líderes partidários demonstraram a preocupação com a isonomia durante o período de campanha eleitoral nas eleições municipais. Em tempos normais, candidatos vão às ruas cumprimentar o eleitorado e fazer o trabalho “corpo a corpo”. Em um período de pandemia, essas estratégias precisarão ser discutidas, sobretudo quando candidatos mais jovens se sobressaem aos com mais idade.

O debate sobre o assunto foi levantado pelo líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB). Em reunião virtual sobre as eleições municipais, ele demonstrou a preocupação sobre o assunto. “A campanha vai ser o grande desafio. Nós temos que nos preocupar com a questão de isonomia. Candidatos que estão no grupo de risco, em tese, terão dificuldade maior em disputar contra candidatos que não estão nesse grupo e teriam mais liberdade”, sustentou.

A discussão sobre o adiamento das eleições não pode ocorrer sem a discussão da isonomia, cobrou Efraim. Para ele, é importante que a prorrogação não signifique dar condições para uma disputa maior e injusta. “É uma condição importante para que tragamos para essa discussão”, ponderou.

A senadora Daniella Ribeiro (PP-PB), vice-líder do partido na Casa, ponderou que, inevitavelmente, as campanhas deverão ser feitas pela internet. “A isonomia vai acontecer via internet. Eu não tenho eleição para mim, mas vereadores, prefeitos, não vão poder abraçar a pessoa e vão ter que passar para isso [o uso da internet]”, avaliou.

Tecnologia

O líder do Solidariedade na Câmara, Zé Silva (MG), concordou com Efraim. Inclusive, sugeriu ao ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que proponha uma outra rodada de debates. Em vez de convidar especialistas nas áreas médica e sanitária, como ocorreu nesta terça-feira, 16, que os convites fossem estendidos a especialistas de tecnologia da informação.

A ideia proposta por Silva é discutir o assunto levantado por Efraim. “Sobre como dar a isonomia levantada pelo líder do Democratas. Quanto mais nós reduzirmos as incertezas, mais nós estaremos preservando a vida e garantindo, também, a democracia”, justificou.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês