Revista Oeste - Eleições 2022

Lira reúne líderes partidários para discutir taxação de lucros da Petrobras

Encontro ocorre depois de novo aumento na gasolina e no diesel
-Publicidade-
Lira é defensor da privatização da estatal | Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados
Lira é defensor da privatização da estatal | Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), vai se reunir com líderes partidários nesta segunda-feira, 20, para debater propostas para taxação de lucros da Petrobras. O encontro vai acontecer na residência oficial a partir das 18h. No encontro, Lira quer discutir ainda a política de preços praticada pela estatal.

A reunião ocorre depois de a Petrobras anunciar um novo aumento no valor dos combustíveis. O reajuste do litro da gasolina vendido às distribuidoras passou de R$ 3,86 para R$ 4,06 (um aumento de 5,2%). O diesel teve reajuste de 14,2%, saindo de R$ 4,91 para R$ 5,61. Os novos valores valem desde o último sábado 18.

“A Petrobras não dá um sinal sobre diminuir seu lucro de 30% e está trabalhando para pagar dividendos a fundos de pensão internacionais”, disse Lira. “Não custava nada esperar resultados do que estamos fazendo para diminuir a inflação para os mais vulneráveis antes de anunciar novos aumentos”, afirmou o presidente da Casa.

-Publicidade-

Lira se refere aos projetos que foram aprovados no Congresso Nacional na última semana, que tentam diminuir o valor dos combustíveis. A principal proposta diminui a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) sobre combustíveis para 17%. Hoje, Estados cobram até mais de 30%.

O projeto foi encaminhado ao Palácio do Planalto. O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), tem 15 dias para sancioná-lo ou vetá-lo.

Demissão

Depois de pressão do governo e do Congresso Nacional, José Mauro Ferreira Coelho deixou a presidência da estatal nesta segunda-feira. O executivo também decidiu renunciar ao seu cargo no Conselho de Administração da empresa.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários Ver comentários

  1. É muita conversa fiada e pouca ação para o meu gosto. Se o governo é majoritário deveria ter poder de veto para esses aumentos. Simples assim.

  2. Na minha opinião, pega a Petrobrás e reparte em 4 ou 6 e reparte esta bosta. É mista mas a tempos não vemos sua função social, então capitaliza ou privatiza logo depois de repartir ela e já era, essa bosta tá com nada. Melhor privatizar, paga seus impostos certinhos e não tem isenção fiscal ou imposto por ser pública, melhor coisa.

    (claro posso estar falando algo errado, mas isso é o que vejo nos últimos anos da petrobrás, essa é a imagem que ela me transparece).

  3. Em Pernambuco, uma semana antes da Petrobras anunciar este novo reajuste, os postos já haviam aumentado em mais de 8%. Estariam coniventes com o governo estadual, para quando incidir este novo ICMS, nada mudar?

    1. Mas pode isso? Se todos estados seguirem esse critério de reajustar preço de combustível, aí chegamos ao fim da picada. Até acho isso de caráter criminoso, só quem pode reajustar preço é a Petrobrás.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.