Lira volta a falar em semipresidencialismo

Proposta cria a figura do primeiro-ministro como chefe de governo e diminui as atribuições do presidente da República
-Publicidade-
Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira | Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira | Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), voltou a defender nesta segunda-feira, 19, a ideia de que o semipresidencialismo para as eleições de 2026 deve ser discutido pelo Congresso Nacional. A proposta cria a figura do primeiro-ministro como chefe de governo e diminui as atribuições do presidente da República.

“Acabou a época de projetos esquecidos nas gavetas. E o semipresidencialismo é mais um desses. Surgiu antes da crise atual. Não é invenção minha. Podemos, sim, discutir o semipresidencialismo, que só valeria para as eleições de 2026, como qualquer outro projeto ou ideia que diminua a instabilidade crônica que o Brasil vive há muito tempo”, tuitou.

Leia mais: “Turismo brasileiro registra crescimento em 2021”

-Publicidade-

Nos últimos dias, Lira falou diversas vezes sobre o tema. O modelo se baseia nos sistemas adotados atualmente em países como França e Portugal. Para ser aprovada, uma proposta de emenda à Constituição (PEC) precisa de 308 votos na Câmara e 49 no Senado, em duas votações em cada Casa.

A proposta tem o respaldo dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Michel Temer (MDB) e José Sarney (MDB) e conta com a simpatia de alguns ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), como Gilmar Mendes.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

9 comentários

  1. Quer dizer que o povo vai eleger um presidente, mas quem vai realmente dar as cartas é alguém que não passará pelo crivo do povo, é p cair o cú da bunda

    1. Alguém avisa às suas inxcelença que o povo já deliberou sobre o assunto em plebiscito. A não ser que queiram incendiar o país.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site