Luis Miranda apresenta projetos para manter emprego, renda e receitas a trabalhadores e patrões

Propostas visam garantir emprego e renda a empregados e impedir corrosão das receitas dos empregadores. Um dos projetos é uma resposta direta à equipe econômica
-Publicidade-
Deputado Luis Miranda (DEM-DF) é autor de projeto que tenta amenizar impactos do coronavírus em contratos locatícios | Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Deputado Luis Miranda (DEM-DF) é autor de projeto que tenta amenizar impactos do coronavírus em contratos locatícios | Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) protocolou quatro projetos de lei para resguardar trabalhadores e empresários. Um deles, possibilita o saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) enquanto durar o quadro de Estado de exceção no Distrito Federal, nos estados e municípios que decretaram situação de calamidade ou emergência.

As propostas estão dentro dos requisitos pedidos pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O demista articula a apresentação de propostas que, juntas, serão emplacadas como um pacote da Casa de resposta ao enfrentamento à propagação e infecção do coronavírus.

-Publicidade-

A proposta vai na linha do anunciado pelo governo. Na segunda-feira, 16, a equipe econômica sinalizou que irá anunciar medida na mesma linha. Até o momento, contudo, não apresentou a proposta. A proposta de Miranda propõe que a solicitação de movimentação da conta vinculada será admitida até 15 dias após a publicação do ato de reconhecimento e não impõe limite ao valor a ser resgatado.

Aluguel

Para empresários e trabalhadores, outra proposta destina o uso dos recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) para pagamento de salários de empregados que recebem até dois salários mínimos. Um terceiro projeto veda a suspensão do fornecimento de energia elétrica, saneamento básico e serviços de telecomunicações de qualquer natureza por inadimplência enquanto durar o surto do coronavírus.

O quarto texto propõe garantir o aluguel ao locatário que, por decorrência do coronavírus, não tiver dificuldades em pagar o aluguel. O valor da mensalidade seria abatido em 50% enquanto durar a crise, devendo ser parcelado pelo prazo de até 12 meses após restabelecer o Estado de normalidade. O desconto se estenderia, também, às contas de água, energia e telefone.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. É verdade a situação da liberação do fundo de garantia é bom para todo mundo porque vai ficar mais tempo em casa mais tranquilo quem trabalha diariamente e tem um fundo de garantia vai poder ficar em casa e muita gente trabalha em aplicativo também

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.