Luis Miranda procurou a Davati para negociar vacinas, diz depoente

Suposto representante de empresa que denunciou ex-diretor do Ministério da Saúde mostrou áudio; deputado nega

A Oeste depende dos assinantes. Assine!

-Publicidade-
Luis Miranda, em coletiva de imprensa, depois de ser citado na CPI da Covid | Foto: Afonso Marangoni/Revista Oeste
Luis Miranda, em coletiva de imprensa, depois de ser citado na CPI da Covid | Foto: Afonso Marangoni/Revista Oeste

Luiz Dominguetti, suposto vendedor de vacinas, afirmou nesta quinta-feira, 1°, em depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 que o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) procurou Cristiano Carvalho, representante da Davati Medical Supply, que seria intermediária da AstraZeneca no Brasil, com a finalidade de comprar vacinas contra o coronavírus. O depoente reproduziu um áudio enviado pelo congressista a Carvalho. Nele, um homem diz ao interlocutor — suposto representante da Davati — que teria um comprador de confiança, sem identificar para que tipo de produto.

“Se o seu produto estiver no chão, grava um vídeo, diz meu nome, para o meu comprador entender que é fato e encaminhar toda a documentação necessária, as amarras, as travas do contratos todos, bola para frente”, diz o homem identificado pelo depoente como Luis Miranda. Em seguida, Dominguetti afirma ter ouvido de Carvalho, representante da Davati, que o congressista tentava intermediar a aquisição de vacinas. Dominguetti teria recebido a gravação logo depois do depoimento de Miranda e seu irmão, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, à CPI, na sexta-feira 25 de junho.

Outro lado

-Publicidade-

Em reunião reservada com o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), e os senadores Marcos do Val (Podemos-ES) e Fernando Bezerra (MDB-PE), o deputado Luis Miranda declarou que o áudio apresentado por Dominguetti é de 2020. A negociação seria nos Estados Unidos e não se tratava de vacinas. Segundo Miranda, o áudio está editado para prejudicá-lo. Aziz disse que Luis Miranda está a caminho da superintendência da Polícia Federal para entregar a íntegra da gravação. Em coletiva de imprensa, Miranda afirmou que o depoente é um “cavalo de Troia” do governo na CPI.

Entenda

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, Dominguetti revelou que, em fevereiro deste ano, Roberto Dias, agora ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde (MS), solicitou US$ 1 por dose da vacina da Oxford, irregularmente.

Conforme a notícia, a negociação envolvia 400 milhões de doses do imunizante por US$ 3,50 a dose, num custo total de US$ 1,4 bilhão (R$ 7 bilhões, na cotação atual).

Na oitiva de hoje, os senadores querem esclarecimentos acerca do suposto esquema, bem como informações sobre “o grupo” citado por Dominguetti — o executivo insinuou haver uma equipe responsável por fraudes no MS. Depois do caso, a pasta exonerou Roberto Dias.

Leia também: “Entenda a suspeita de propina em negociação de vacinas pelo Ministério da Saúde”

AstraZeneca

O ex-diretor de Logística sustenta que a Davati Medical Supply argumentou ser intermediária da farmacêutica no Brasil. Em nota divulgada à imprensa, a AstraZeneca informou que não tem representantes no país. As tratativas para venda de imunizantes são feitas diretamente com governos.

Posição da Davati

Ao jornal O Globo, representantes da empresa Davati Medical Supply no Brasil, o empresário Cristiano Alberto Carvalho negou que o áudio do deputado Luis Claudio Miranda (DEM-DF), recebido por ele e divulgado na CPI da Covid por Luiz Paulo Dominguetti, tratasse da negociação de vacinas, como foi alegado. Segundo Carvalho, Dominguetti quer “aparecer”.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

17 comentários Ver comentários

  1. Produziu-se uma série de narrativas para soltar e anular as sentenças do molusco. Agora tentam arranjar uma narrativa para incriminar o Presidente.

  2. Só queria saber o que o deputado Luís 171 Miranda “sussurrou” nos ouvidos de Renan Calheiros e Omar Aziz quando apareceu repentinamente após a exibição do áudio. Como disse o Senador Marcos Rogério…..O circo está armado e o dono é o Omar.

  3. A verdade é que tem um monte de político doido por uma “beirada” nas compras de qualquer coisa nesse país. Esse Lui$ Pilantra SIFU muito antes de qq outro que quis inventar narrativas contra Bolsonaro ! kkkkkkkkkk

      1. Os pilantras da CPI ficaram possessos com a verdade !!!

  4. Este Mirandinha ai é o maior 171, basta fazer uma breve pesquisa dele kkkk que vergonha é a mesma coisa quando chamaram lá o Foquinha pra fazer live com o sinédrio,, os caras não se informam antes e dão voz a qualquer um que queira falar mau do PR, só vergonha kkkkk é o Circo mesmo.

  5. Apenas eu acho que chegamos ao fim do poço da desordem no Brasil ? E a corrupção nos Estados e orefeituras ? Que absurdo. Pena que temos um presidente banana e forças armadas aparentemente também corrompidas por protetores de bandidos. Essa CPI é a evidência do cúmulo da desordem, aonde malfeitores dão as cartas. Alguém acabe com essa humilhação, por favor !

  6. Não passam de cúmplices, isso sim. Envolvidos nessa maracutaia midiática. Estão ferrados ( ou fudds) e mal pagos. Só falta pegar os três relatores das medidas provisórias.

  7. Eu sempre imaginei que pra ser jornalista precisava ter um certo nível de inteligência, mas estava enganado. Pelo que se vê na Folha de São Paulo, enrolados por um bando de trambiqueiros e golpistas, não passam de um bando de idiotas estúpidos.

    1. O que vejo um pais com tantas leis, e não usar para acabar com esses politicos corruptos. Teriam que fazer cursos de apreendizados de adm publica.
      E o senado não poderia fazer o cancelamento dessa cpi, ja que desfocaram o conteudo proposto.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.