-Publicidade-

Maia sugere impedir que militares da ativa assumam cargos no governo

"Não é bom para as Forças Armadas, não é bom para o Brasil", afirmou o presidente da Câmara dos Deputados
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) | Foto: DIVULGAÇÃO/AGÊNCIA BRASIL
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) | Foto: DIVULGAÇÃO/AGÊNCIA BRASIL | O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) | Foto: DIVULGAÇÃO/AGÊNCIA BRASIL

“Não é bom para as Forças Armadas, não é bom para o Brasil”, afirmou o presidente da Câmara dos Deputados

maia
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ)
Foto: DIVULGAÇÃO/AGÊNCIA BRASIL

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou ontem que defende uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) capaz de impedir a participação de militares da ativa no governo. Em suma, a medida obriga a transferência para a reserva do integrante das Forças Armadas que quiser exercer funções no Executivo.

Leia também: Quanto custa o presidente da Câmara dos Deputados?

“Para os militares da ativa, é bom que a gente construa uma PEC. Quem vier para o mundo civil, não vai poder estar na ativa. Não é bom para as Forças Armadas, não é bom para o Brasil”, afirmou Maia em entrevista à revista Época. Caso a proposta estivesse em vigor, o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, teria de sair da ativa para continuar coordenando a pasta, por exemplo.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.