Marcos Rogério reitera apoio a Bolsonaro e vê União Brasil na ‘centro-direita’

Senador minimizou divergências entre defensores e opositores do governo em novo partido: 'Essas situações serão equacionadas'
-Publicidade-
O senador Marcos Rogério participou do <i>Opinião no Ar</i>, da RedeTV!
O senador Marcos Rogério participou do Opinião no Ar, da RedeTV! | Foto: Reprodução/YouTube

Em entrevista ao programa Opinião no Ar, da RedeTV!, nesta quarta-feira, 6, o senador Marcos Rogério (DEM-RO) comentou a fusão sacramentada hoje entre o Democratas e o PSL — que deu origem a um novo partido, o União Brasil. Segundo o parlamentar, a nova legenda deve se situar no campo da centro-direita no espectro político.

“A tendência natural é ser um partido de centro-direita. As bandeiras do liberalismo econômico e os fundamentos que o DEM sempre defendeu serão mantidos neste novo formato”, afirmou Marcos Rogério, que é apoiador do governo do presidente Jair Bolsonaro.

Leia mais: “Fusão entre DEM e PSL é aprovada e dá origem ao União Brasil”

-Publicidade-

Indagado sobre as diversas correntes do DEM e do PSL, com lideranças que apoiam e outras que fazem oposição a Bolsonaro, o senador disse que haverá um “entendimento” com vistas às eleições de 2022.

“A partir de agora, é continuar o diálogo. Para chegar até aqui, houve muito diálogo e entendimento; tanto o deputado [Luciano] Bivar [presidente do PSL] quanto o presidente ACM Neto conversaram muito”, afirmou.

“Em relação às eleições de 2022, esse é um diálogo que vamos ter que travar no momento apropriado. Agora é resolver a fusão, é fazer os arranjos de organização partidária. O meu entendimento é que deve haver uma deliberação para dar conforto a cada regional do partido. Temos um conjunto de apoiadores do presidente Bolsonaro, como temos também alguns que são oposição e outros independentes.”

Leia mais: “Partido fruto da fusão entre DEM e PSL já tem nome e número”

Segundo Marcos Rogério, o ideal é que o União Brasil seja criado em “um ambiente no qual as decisões sejam colegiadas”. “Essas situações serão equacionadas no momento certo”, assegurou o parlamentar.

O senador reiterou seu alinhamento com as pautas defendidas pelo atual governo. “Eu, particularmente, sou aliado do presidente Jair Bolsonaro e assim devo me manter”, disse Marcos Rogério.

Leia também: “PSL aprova convenção para sacramentar fusão com o DEM”

Ainda segundo o senador, o presidente nacional do novo partido deve ser do PSL, “por ter a maior bancada neste momento”. “O melhor caminho seria ter um ambiente de liberdade dentro do partido”, completou.

Leia também: “ACM Neto volta a criticar Doria e afirma que Leite é ‘mais agregador’”

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.