Melhora na segurança pública “não é por coincidência”, diz Bolsonaro

Em discurso em Corumbá (MS), presidente avaliou que atuação da Polícia Federal ficou melhor com a saída de Sergio Moro.
-Publicidade-
Moro tomou novo 'puxão de orelha' de Bolsonaro | Foto: Marcos Corrêa/PR
Moro tomou novo 'puxão de orelha' de Bolsonaro | Foto: Marcos Corrêa/PR | jair bolsonaro, sergio moro, segurança pública, polícia federal, justiça, eleições 2022

Em discurso na inauguração de um radar em Corumbá (MS) nessa terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro fez uma avaliação da atuação da Polícia Federal (PF) no combate ao tráfico de drogas e, ao mesmo tempo, aproveitou para provocar o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro:

“O que estamos inaugurando aqui ajudará e muito a nossa PF e também a nossa PRF [Polícia Rodoviária Federal] no combate aos ilícitos. Em especial o trafico de drogas e armas ilegais. E vale a pena lembrar, não por coincidência, de maio para cá, não só a PF, bem como a PRF, vem batendo recordes de apreensão de drogas e armamentos pelo Brasil”, constatou o presidente.

Moro deixou o governo no final de abril, alegando — sem provas — que o presidente queria mudar a direção-geral da PF para poder interferir em investigações. Desde então, o ex-juiz federal tem recebido o salário de “quarentena”, dado aos que ocupam funções estratégicas e se desligam do governo.

-Publicidade-

Além disso, escreve artigos e faz aparições públicas, no que muitos entendem ser o início de uma pré-campanha presidencial para 2022, o que, por enquanto, ele nega.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

15 comentários Ver comentários

  1. Não entendo como tem pessoas que afirmam que o Moro ajudou o presidente a se eleger. Isso é argumento da oposição e não de quem votou em Bolsonaro. Eu por exemplo, era um velho tucano desiludido até com meu partido e votei no Bolsonaro pela incontestável posição em defesa dos costumes, das famílias, das religiões, portanto conservador e democrata, que propôs racionalizar a maquina pública, seguir nas reformas, e apresentou como seu parceiro Paulo Guedes, reconhecido até por seus pares e internacionalmente como excelente economista, liberal e que abraçou no ministério da economia vários ministérios de governos anteriores.
    Moro era nosso ídolo, e assim foi reconhecido por Bolsonaro, que o levou ao super ministério da Justiça e Segurança Publica com liberdade total para nomear sua equipe de amigos de Curitiba, ao contrário dos outros Poderes da República como Legislativo e Judiciário, que o odiavam. Lamentavelmente, mostrou-se uma personalidade estranha quando ficou zangado porque Bolsonaro queria trocar superintendentes da PF, alegando naquela melancólica despedida que jamais qualquer outro presidente interferiu na PF.
    Seguramente não leu os “diários da presidência” de FHC e nunca ouviu entrevistas do Lula ao UOL. Saiu do governo, e começou a dar entrevistas para Globo, Revista Cruzoé, Folha, enfim aquela imprensa do ódio contra Bolsonaro. Provavelmente ficou zangado com os modos do presidente, que falou muitos “nomes feios”, naquela reunião de 22/04 que exigiu ao decano Celso que tornasse pública integralmente para denegrir Bolsonaro.
    Cheira a um novato tucano com cartaz em busca de carreira politica, infelizmente. Seus méritos como juiz, são incontestáveis.

    1. Pelo trabalhonde sergio.moro enquanto juiz mantenho respeito pi ele, que já foi bem.maior, diga-se de passagem. Se por acaso tivéssemos um segundo turno ente moro e alguém da esquerda, votaria nele tranquilamente mas iisso não irá ocorrer pois creio que Bolsonaro vencerá no primeiro turno. Lamentei a firma deselegante que o juiz deixou o governo..

  2. Hoje podemos ter a certeza das intençõesa de Moro e também de Mandetta. Ambos antes de sair do governo tinham bolsonaro como inimigo, o Moro criticando mudaças no COAF, na PF, na mudez com as agreções do estado na população na quarentena, e o Mandetta na condução do Covid, principalmente sobre a cloroquina, no qual era adepto do fique em casa e só procure um médico se estiver com falta de ar, ou seja, quando não tiver mais jeito. O tempo passou, e hj vemos q o número de apreensão de drogas aumentou, a criminalidade diminiu e a PF chegou na porta do PSDB. Enquanto na saúde hj se usa o protocolo no início do tratamento, e por consequência salvando vidas.
    Eles não se preocupavam com a população, eles se preocupavam em enfraquecer o governo, e usar isso como narrativa para 2022. mesmo q isso custasse a vida da população.

  3. Então o que o Moro fez no ano passado,não vale mais?
    O Senhor Presidente deveria ter vergonha na cara!
    Quando precisava dele para ganhar o voto dos antipesta beleza,depois que ganha,coloca um petista na PGR e outo na Justiça,e se alia ao Centrão!
    PILANTRA!

    1. Bolsonaro jamais precisou de Moro para ser eleito,recebendo votos dos antipetistas,já que Moro não participou da campanha nem foi citado como futuro Ministro.Ao contrário do candidato Álvaro Dias,que perdeu feio.Ele dizia que colocaria o ex juiz em seu governo.Mais honestidade,por favor!

    2. sua memória lhe prega peças… quando foi que o Moro “deu votos” na eleição? para quem tem boa memória, o convite só foi feito após eleito, nunca foi citado o convite durante a campanha. provavelmente está falando de outra pessoa. provavelmente o Guedes, que estava com ele desde o início, na pré campanha. só pode ser isso.

    3. Ganhar votos???? Você precisa refrescar sua memória sobre as eleições passadas. E outra, da forma que o Moro saiu, dando uma faca pelas costas, isso que o Bolsonaro falou é pouco demais.

    4. Nossa , vc não entende nada. Bolsonaro se elegeu por ele e por nos que queremos um país sem bandalheira.
      Moro veio muito depôs e se mostrou para o que veio. E pelo visto vc não votou nele. Os lenços já estão sendo vendidos, não estamos distribuindo mais de graça!!!!sorry!!!!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.