Mesmo com desconto, joias de Sérgio Cabral encalham; veja peças

Apenas 12 joias de um lote de 40 foram vendidas, a maior parte abaixo do valor de aquisição
-Publicidade-
Joias que eram de Sérgio Cabral | Foto: Divulgação/Polícia Federal
Joias que eram de Sérgio Cabral | Foto: Divulgação/Polícia Federal

Apreendidas em novembro de 2016, quando Sérgio Cabral foi preso, a maioria das joias do ex-governador e de sua mulher, Adriana Ancelmo, encalhou em um leilão realizado pela Justiça Federal no mês passado. Apenas 12 peças de um lote de 40 foram vendidas, a maior parte abaixo do valor de aquisição (veja algumas peças abaixo).

Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo, a Justiça arrecadou R$ 354,3 mil com a venda de sete relógios, quatro pares de brincos e um anel. Somados, esses itens perderam 29% do preço de compra do ex-governador. Dos 12 itens vendidos, nove foram arrematados por valores abaixo dos de aquisição. A maior redução foi num relógio adquirido por R$ 5 mil pelo governador e comprado por R$ 180 no leilão por um advogado (96% de queda).

Leia mais: “Governo prorroga até 2022 processo que simplifica pedidos de refúgio de venezuelanos”

-Publicidade-

O leilão ocorreu com mais de um ano de atraso em razão de divergências na avaliação das joias adquiridas pelo ex-governador. O juiz Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro, adiou o certame apontando discrepância entre as avaliações feitas e os valores pagos pelos bens.

De acordo com o Ministério Público Federal, as peças eram usadas para lavagem do dinheiro obtido com propina. Cabral foi condenado a 13 anos e quatro meses de prisão pela prática. Ele nega essa acusação e afirma que adquiriu as joias para presentear a mulher e que os itens não são meio de lavagem de dinheiro por perderem valor assim que saem das lojas. O fracasso do leilão pode ser usado para reforçar o argumento.

As demais 28 peças não tiveram interessados. Segundo a Folha, elas serão reavaliadas pelo leiloeiro Renato Guedes, responsável pelos certames da Lava Jato fluminense, para uma nova tentativa de venda. Elas permanecem em cofres da Caixa Econômica Federal.

Joias que eram de Sérgio Cabral | Foto: Divulgação/Polícia Federal
Joias que eram de Sérgio Cabral | Foto: Divulgação/Polícia Federal
Joias que eram de Sérgio Cabral | Foto: Divulgação/Polícia Federal
Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários

  1. Lembra quando ele fez gozação quando o Lula foi indiciado pelo triplex e pelo sitio de Atibaia?
    “Presidente por um ap e um sítio em Atibaia?” “Kkkkkkkkkk” Tenha dó presidente.
    Condenar o Lula por isso, é como foi feito com Al Capone lá nos States, condenado por sonegação de imposto em vez das centenas de assassinatos.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro