Mesmo sob críticas de Bolsonaro, Ibaneis prorroga restrições no DF

Governador afirmou que, se não houver piora nos índices de covid, a partir de 29 de março vai começar a liberar os setores prejudicados
-Publicidade-
Governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha | Foto: Renato Alves/Agência Brasília
Governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha | Foto: Renato Alves/Agência Brasília

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), anunciou nesta sexta-feira, 19, a prorrogação, por uma semana, das medidas restritivas adotadas para tentar conter o avanço da pandemia. Comércio, bares e restaurantes terão de permanecer fechados.

Pelas redes sociais, Ibaneis Rocha afirmou que, se não houver piora nos índices de covid, a partir de segunda-feira, 29 de março, vai começar a “liberar os setores hoje prejudicados”.

-Publicidade-

Leia mais: “Petrobras anuncia primeira redução no preço da gasolina em 2021”

“Depois do dia 29, vamos intercalar os horários das atividades de comércio e serviços para conseguirmos diminuir a circulação de pessoas no transporte coletivo”, escreveu. Desde 8 de março, o Distrito Federal também está sujeito a toque de recolher entre 22 e 5 horas, para diminuir a circulação de pessoas na rua.

O governador do DF ainda prometeu instalar mais 220 leitos de UTI para covid até 4 de abril. “É preciso ter o apoio de toda a população: use máscara, álcool em gel e mantenha distância.”

Bolsonaro

Nesta sexta-feira, o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar o lockdown em Brasília. Ele, inclusive, entrou no Supremo Tribunal Federal contra Ibaneis Rocha e outros dois governadores.

Na saída do Palácio da Alvorada, Bolsonaro afirmou que Ibaneis Rocha, no início da pandemia, mostrou a ele “uns pedaços enormes de picanha” e disse que fazia churrasco. “O povo nem tem pé de galinha para comer mais”, disse o presidente a apoiadores.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.