Ministério Público cobra R$ 2,5 bilhões da Samarco, Vale e BHP para atingidos em Mariana

Ao todo, nem 30% das famílias das vítimas foram indenizadas
-Publicidade-
Tragédia em Mariana matou 19 pessoas
Tragédia em Mariana matou 19 pessoas | Foto: Divulgação/MPMG

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) ajuizou uma ação de liquidação e cumprimento de sentença contra a Samarco, a Vale e a BHP Blinton, no valor de R$ 2,54 bilhões, para garantir a reparação aos atingidos pelo rompimento da Barragem de Fundão, em Mariana, na região central de Minas Gerais.

De acordo com o MPMG, quase três anos depois da homologação do acordo com as empresas para pagamento das indenizações aos atingidos, “a obrigação não foi integralmente cumprida e sequer está próxima de sê-lo”. Ao todo, nem 30% das famílias dos atingidos foram indenizadas.

Leia mais: “Tribunal de Londres reabre processo por rompimento de barragem de Mariana”

-Publicidade-

Firmado em outubro de 2018, o acordo previa que as mineradoras fariam a reparação integral, assumiriam o ônus da prova e, após a conclusão dos cadastros dos atingidos, efetuariam os pagamentos, apresentando as propostas em até 90 dias.

Em dezembro de 2015, a tragédia deixou 19 pessoas mortas e destruiu comunidades.

Leia também: “Órgão alerta para risco de rompimento de outra barragem em Mariana”

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.