Ministério Público arquiva inquérito de racismo contra Weintraub

Segundo a procuradora Melina Flores, o ex-ministro da Educação não incitou preconceito
-Publicidade-
Weintraub não cometeu crime de racismo, segundo o Ministério Público Federal
Weintraub não cometeu crime de racismo, segundo o Ministério Público Federal | Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Ministério Público Federal (MPF) decidiu arquivar o inquérito aberto para apurar se o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub cometeu crime de racismo contra os chineses ao insinuar que o país poderia se beneficiar da crise sanitária causada pela pandemia do novo coronavírus. A decisão foi tomada na esteira do relatório de investigação da Polícia Federal, que concluiu as apurações no fim de 2020 e decidiu não indiciar o ex-ministro pelo crime. Com base no documento, a Procuradoria da República no Distrito Federal encerrou o caso. Na avaliação da procuradora Melina Flores, que assinou o arquivamento, a manifestação de Weintraub “não está claramente voltada a incitar preconceito”. “Essa postagem, por si só, não trouxe uma demonstração clara do ânimo racista e da iminência do risco social de racismo que a opinião deveria gerar”, escreveu. O inquérito em questão foi aberto em abril, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), depois que o então ministro fez uma publicação no Twitter dando a entender que a China sairia “fortalecida” da pandemia, apoiada por seus “aliados no Brasil”. Weintraub chegou a usar a forma de falar do personagem Cebolinha, da Turma da Mônica, trocando o “r” pelo “l”, em uma sátira ao sotaque de chineses que falam português. Depois que Weintraub deixou o governo federal, a investigação, que até então corria no Supremo Tribunal Federal (STF), foi enviada para primeira instância.

Leia também: “Preso, deputado do PSL é denunciado pela Procuradoria-Geral da República”

-Publicidade-

Com informações do Estadão Conteúdo

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site