Morre Paulo Roberto Costa, primeiro delator da Lava Jato

Relatos de ex-diretor da Petrobras ajudaram a investigação a chegar ao esquema de corrupção que envolvia partidos
-Publicidade-
Paulo Roberto Costa foi um dos pivôs de desvios de dinheiro na Petrobras
Paulo Roberto Costa foi um dos pivôs de desvios de dinheiro na Petrobras | Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Morreu no último sábado, 13, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, aos 68 anos. O executivo foi o primeiro delator da Operação Lava Jato, deflagrada em 2014, e começou a ajudar a investigação sobre práticas de corrupção dentro da estatal.

Paulo Roberto Costa tratava de um câncer e morreu no Rio de Janeiro. Engenheiro mecânico formado na Universidade Federal do Paraná, o executivo entrou na Petrobras em 1977 por meio de concurso.

Na condição de diretor de Abastecimento da Petrobras, Costa ajudou a instrumentalizar esquema de desvio de dinheiro da empresa. Posteriormente, na Lava Jato, foi condenado a mais de 70 anos de prisão em processos do caso em Curitiba, mas deixou a cadeia devido a seu acordo de colaboração.

-Publicidade-

Em 2014, a apuração policial chegou a Costa depois de descobrir que o doleiro Alberto Youssef havia comprado um automóvel Land Rover para o executivo. A partir desse ponto, a Petrobras passou a figurar no centro das investigações.

Entre 2004 e 2012, Costa dirigiu a área de Abastecimento da Petrobras, durante os governos petistas de Luis Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Sua escolha partiu de então aliados do Progressistas (PP).

Dilma e Lula

Durante a campanha presidencial de 2014, os depoimentos de Paulo Roberto Costa atingiram a tentativa de reeleição de Dilma Rousseff. O diretor relatou que um cartel de empreiteiras foi formado nos negócios da Petrobras e que havia pagamento de propina, sendo parte destinada aos executivos da estatal e parte aos partidos políticos, incluindo PT, PMDB e PP.

O ex-diretor da Petrobras foi solto em maio de 2014, mas voltou a ser detido devido a informações enviadas da Suíça sobre contas usadas para receber propina. Em agosto daquele ano, acabou aceitando colaborar com as autoridades, sob o compromisso de devolver dinheiro que estava no exterior, em valores superiores a US$ 25 milhões.

Adiante, Costa ficou cinco meses detido no Paraná e mais um ano em prisão domiciliar no Rio de Janeiro. Em 2015, partiu para o regime semiaberto, em Petrópolis (RJ).

O nome de Paulo Roberto Costa aparece 46 vezes na sentença do ex-juiz Sergio Moro que condenou Lula à prisão em 2017. O executivo foi ouvido como testemunha no processo. Um relato do ex-diretor ajudou a acusação a embasar a tese de que a empreiteira OAS tinha uma espécie de conta corrente com o PT da qual o ex-presidente da República teria se beneficiado.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

15 comentários Ver comentários

  1. Pois é isso mesmo as pessoas morrem, principalmente quando são prejudiciais ao PT, como as pessoas envolvidas no assassinato do prefeito de Santo André.

  2. Dizem que, como técnico na área dele, era um engenheiro muito bem capacitado mas daí de repente, resolve dar um triplo mortal carpado invertido em sua trajetória e deu no que deu… se fudeu. Também conheço um certo juiz, que por sinal é também paranaense, muito competente em sua área, pelo menos era isso que parecia ser, porém resolveu dar uma guinada radical em sua vida e também… sifú. Esse pessoal do Paraná…

    1. Não se iluda!!! Tem gente mais pernostica que fez luladrão de poste.
      Vai paulo roberto costa, e se não é fake dessa esquerda asquerosa, MORREU EM BERÇO ESPLÊNDIDO.
      AVISO: nem todos os canalhas morrerão assim. Prestarão contas.
      Tem bandidos como esse FUNCIONÁRIO PÚBLICO TRAIDOR DA PÁTRIA, que sofrerá como aqueles que a esquerdalha brasileira, diz proteger.
      Vai com o diabo PAULO ROBERTO COSTA!!!
      Nada a ver com discursos de ódio tá? Gentalha da cartinha!!!!!!!!

  3. Conclusão sobre os criminosos da lava jato: quem delatou quase não ficou preso; quem foi delatado foi descondenado ou absolvido ou anulado os processos ou remetido pra justiça eleitoral! Enfim, uma pizza enorme, tempo e dinheiro desperdiçados e com perseguições aos investigadores que fizeram um ótimo serviço! Uma vergonha danada e uma cafajestagem total! Uma vergonha para o mundo!

  4. Morte melancólica, sem honra, passou para a história com sua biografia manchada, sou cristão, desejo que sua alma encontre finalmente a paz de espirito que aqui na terra foi apossada pelo Judiciário, e lhe foi devolvida com a sua morte.

    1. Aquele outro continua vivo …. Mas vai chegar a hora, vai prestar contas no chamado “Vale dos políticos”, no além. E lá não vai ter nenhum bigodinho pra dá uma mãozinha.

  5. MAS…era tudo armação, o carniça é um santo, o juiz suspeito, os procuradores malvados, o supremo amigo, nós uns idiotas, o país uma republiqueta de bananas, o poste mijando no cachorro, e por aí vamos.

  6. A eleição deste ano não pode ser contaminada com uma candidatura que busca o registro que, de acordo com a Lei Complementar n* 135 de 4/06/2010 sancionada pelo candidato e ex-Presidente Luis Inácio Lula da Silva que diz que os políticos condenados em decisões colegiadas de Segunda Instância, são proibidos de se candidatarem. Se não houve o perdão, o indulto, a graça que são competências exclusivas do atual Presidente, candidaturas com este perfil, não podem ser autorizadas

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.