-Publicidade-

Mourão convida DiCaprio a conhecer ‘como funcionam as coisas’ na Amazônia

Vice-presidente afirmou que não há exportação ilegal de produtos saindo da Amazônia e defendeu a soberania do Brasil na região
Vice-presidente da República, general Hamilton Mourão | Foto: Reprodução/CNI
Vice-presidente da República, general Hamilton Mourão | Foto: Reprodução/CNI

Vice-presidente afirmou que não há exportação ilegal de produtos saindo da Amazônia e defendeu a soberania do Brasil na região

Mourão
Vice-presidente da República, general Hamilton Mourão | Foto: Reprodução/CNI

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, disse que gostaria de convidar o ator Leonardo DiCaprio a conhecer “como funcionam as coisas” na Amazônia.

A declaração foi dada nesta quarta-feira, 19, no Fórum Mundial Amazônia +21, organizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

LEIA MAIS: A AMAZÔNIA E O AGRONEGÓCIO

Mourão, que também é o presidente Conselho Nacional da Amazônia Legal, classificou DiCaprio como o “nosso mais recente crítico”.

“Eu gostaria de convidar o nosso mais recente crítico, o nosso ator Leonardo Di Caprio, para ir comigo aqui a São Gabriel da Cachoeira para fazermos uma marcha de oito horas pela selva entre o aeroporto de São Gabriel e a estrada de Cucuí. Ele vai aprender em cada socavão que ele tiver que passar que a Amazônia não é uma planície e aí entenderá melhor como funcionam as coisas nessa imensa região”, declarou o vice-presidente.

Na terça-feira 18, o ator de Hollywood fez críticas ao governo brasileiro e ao presidente Jair Bolsonaro pela postura em relação à Amazônia.

“A Amazônia não é uma coisa única. Existem 22 tipos de floresta diferente aqui dentro, não é uma floresta única”, afirmou Mourão.

Exportação

O vice-presidente afirmou que não há exportação ilegal de produtos saindo da Amazônia e rechaçou acusações de que os brasileiros seriam os “vilões da sustentabilidade”.

Ele destacou que o Brasil está entre os países com a matriz energética mais limpa do mundo.

Segundo Mourão, o país tem mais de 60% de sua cobertura preservada, índice que sobe para mais de 80% na região amazônica.

Soberania

Mourão afirmou que apenas reprimir ilícitos ambientais é insuficiente e defendeu um novo modelo de desenvolvimento para a região baseado na pesquisa e em informação em cima da biodiversidade.

Ele disse esperar que um dos resultados do Conselho da Amazônia seja reafirmar a soberania do país sobre a região.

O vice-presidente também busca resultados positivos na redução das queimadas e do desmatamento ilegal.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comentários

  1. fulanos, como esse atorzinho, imagina que a floresta amazônica abrange do norte ao sul, inclusive na capital de são paulo. imagina ele, inclusive, que a floresta amazônica chega até a capital do brasil, buenos aires!!!!
    é só mais um com a “síndrome do virtuoso”… aquela que infesta o mundo dos que ganham milhões de dólares fazendo… nada, só brincando de representar.

  2. Sugiro ao vice presidente Mourão que leve junto os ministros do STF, Barroso e Carmem Lucia. Barroso, para orientar como levar água potável aos povos indígenas, e Carmem, para posteriormente divulgar aos seus simpatizantes o que viu na Amazônia. Necessário também mostrar ao Judiciário a importância das Forças Armadas não somente na defesa da pátria, como em socorro de vitimas de pandemias, tragédias climáticas e principalmente manter a “harmonia entre os poderes da República”, não permitindo interferência de um poder no outro.
    A proposito, dá para entender essa estranha contestação do orçamento das Forças Armadas em relação ao da Educação? Sera que a imprensa e autoridades pensam que Forças Armadas só fazem exercícios de tiro e guerra, e a Educação, educa?

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês