Na volta pós-recesso, CPI ouve reverendo que teria negociado vacinas

Amilton Gomes de Paula é fundador da Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (Senah)
-Publicidade-
CPI da Covid retoma suas atividades nesta terça-feira, 3, depois de duas semanas de recesso
CPI da Covid retoma suas atividades nesta terça-feira, 3, depois de duas semanas de recesso | Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

Depois de duas semanas sem atividades em função do recesso parlamentar, a CPI da Covid no Senado retoma os trabalhos nesta terça-feira, 3, mirando as investigações sobre compra de vacinas pelo governo brasileiro em meio à pandemia de covid-19.

O depoimento de hoje será do reverendo Amilton Gomes de Paula, fundador da Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (Senah). Ele teria negociado a venda de 400 milhões de doses da vacina da AstraZeneca em nome do governo brasileiro.

Leia mais: “CPI retoma os trabalhos e ouve intermediários que negociaram vacinas”

-Publicidade-

Segundo reportagem exibida pela TV Globo, o reverendo teria recebido aval para que negociasse a aquisição das doses com a empresa intermediária Davati Medical Suplly. Ainda de acordo com a emissora, o valor negociado teria sido de US$ 17,50, três vezes superior ao que o Ministério da Saúde pagou em janeiro deste ano para um laboratório indiano.

Leia também: “Janaina critica CPI da Covid: ‘Não há o que ser investigado’”

A Senah é uma organização fundada em 1999, com sede em Águas Claras (DF), região próxima a Brasília. A entidade desenvolve projetos de ação sociocultural no Distrito Federal e em cidades do entorno.

Leia também: “Heinze: Ciro Nogueira na Casa Civil vai ajudar trabalho de aliados do governo na CPI”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro