‘Não se negocia democracia’, diz Pacheco depois de encontro com governadores

Presidente do Senado defendeu o diálogo entre os Poderes da República e a formação de consensos no Parlamento
-Publicidade-
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, defendeu a convivência harmônica entre os Poderes da República
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, defendeu a convivência harmônica entre os Poderes da República | Foto: Pedro Gontijo / Senado Federal

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), se reuniu na manhã desta quinta-feira, 2, com alguns governadores para discutir assuntos como a relação institucional entre os Poderes, a pandemia de covid-19 e a tramitação de projetos de interesse dos Estados no Congresso Nacional.

Depois do encontro, em entrevista coletiva na residência oficial do Senado, Pacheco defendeu o diálogo entre os Poderes da República, a formação de “consensos” no Parlamento e reiterou o apoio inegociável à democracia.

Leia mais: “Pacheco e Lira se reunirão com Fux para bater martelo sobre o pagamento de precatórios”

-Publicidade-

“É muito importante que estejamos todos unidos, respeitando divergências, na busca de consensos, na busca de convergências, mas com um aspecto que é para todos nós inegociável: não se negocia a democracia”, afirmou o parlamentar. “A democracia é uma realidade, o Estado de Direito é uma realidade. A sociedade já assimilou esses conceitos e valores, de modo que estaremos sempre todos unidos nesse propósito de preservação da democracia.”

Depois da fala de Pacheco, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), manifestou a preocupação “unânime” dos governadores em relação ao “esgarçamento das relações entre os Poderes”.

Leia também: “Críticas ostensivas ao STF dificultam o processo de pacificação, diz Pacheco”

“Existe uma unanimidade no sentido de que temos que caminhar juntos pela democracia. Isso foi pauta da última reunião e reafirmado aqui hoje com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, no sentido de que a gente possa distensionar o país”, afirmou.

Além de Ibaneis, participaram da reunião com o presidente do Senado os governadores Helder Barbalho, do Pará; Wellington Dias, do Piauí; Renato Casagrande, do Espírito Santo; Romeu Zema, de Minas Gerais; e Reinaldo Azambuja, do Mato Grosso do Sul.

Leia também: “Congresso vai mobilizar 5 mil policiais para proteção do prédio do Parlamento no 7 de setembro”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

18 comentários

  1. É exatamente isto seu Pacheco. N queremos negociar democracia, queremos que ela seja recuperada por vcs que foram colocados ai p nos representar. Ou vão fazer isso no amor ou na dor vcs escolhem tá OK ?

    1. Pachequim,docracia sem Constituição,Pachequim.É,porque a existente já rasgaram há muito tempo,sob os olhares coniventes das vossas excelências.
      Pachequim,vocês querem guerra civil?

  2. O congresso, principalmente o senado (vide Alcolumbre; CPI COVID, etc), é o primeiro, com a conivência do STF, a golpear a Democracia, todos os dias. Democracia, sim, sempre, apesar de gente como você, Pacheco!

  3. A pacificação é por aqui…

    *AS 7 PAUTAS PARA O 7 DE SETEMBRO*
    1) Transformar o STF em Corte Exclusivamente Constitucional (só julga ADINs e ADCs)
    2) Candidaturas Avulsas
    3) Proibição de inquéritos judiciais sem iniciativa do Ministério Público e Garantia à Livre Expressão
    4) Voto Auditável e Contagem Pública de Votos
    5) Prisão em Segunda Instância
    6) Fim do Fundo Eleitoral e do Foro Privilegiado
    7) Redução da Maioridade Penal.

    1. Esse Pacheco, e mais uma porcaria que apareceu na política brasileira, está a serviço dele e seu grupo, parece piada, esses caras falarem em democracia, não sabem do que se trata.

    2. 1) Apoiado sem adendos!
      2) Apoiadíssimo, sem comentários
      3) Isto já está na Constituição, substitua por: obrigadoriedade de togados lerem a constituição do seu país!
      4)Imprescindível: Voto impresso para ser auditado. Escrito assim de outra forma, o Barroso se manca.
      5) Prisão em segunda instância sem direito a recurso para crimes de colarinho branco.
      6) Fim do foro privilegiado, inclusive para presidente da república.
      6.a) Fim do fundo eleitoral
      7) Redução da maioridade penal.
      8) PEC da lava toga
      9) PEC da bengala

      1. Essas duas últimas são o coraçào de todas acima.Realizadas estas duas,as outras vão de rodo.

  4. Ricardo acima tá certo, a pacificação tá fácil.
    Bicalho também perfeito: não vamos negociar a DEMOCRACIA.
    O que os legisladores e os soberbos supremos não admitem é que já promoveram a ruptura ao cercear o presidente legitimamente eleito, e não aceitaram nunca!
    07/09 será um marco na jovem DEMOCRACIA brasileira.
    Veremos como vão proceder depois dessa data!

  5. E não sei ainda o quê!!!!……..
    Mas algo importantíssimo vai acontecer!
    Esquerdistas e esses supremos soberbos já tão mijando nas calças……
    O povo não aguenta mais!!!

  6. Esse Pacheco é cheio de frase efeito de conteúdo zero. O mineiro só o elegeu senador pra barrar a eleição de Dilma Rousseff. É mais um político medíocre na política brasileira.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro