Novo convoca manifestações contra ‘fundão’ eleitoral de R$ 4,9 bilhões

'Esse dinheiro é retirado de saúde, segurança e educação. É uma aberração', afirma a deputada Adriana Ventura (SP)
-Publicidade-
A deputada Adriana Ventura (Novo-SP) participa do Jornal da Manhã, da Jovem Pan
A deputada Adriana Ventura (Novo-SP) participa do Jornal da Manhã, da Jovem Pan | Foto: Reprodução/YouTube

Lideranças do Partido Novo convocaram para este fim de semana uma série de manifestações em diversas cidades do país contra o “fundão” eleitoral de R$ 4,9 bilhões, que vai bancar as eleições de outubro.

A legenda já havia entrado no Supremo Tribunal Federal (STF) com uma representação alegando que o aumento do “fundão” é inconstitucional. O Novo quer que seja mantido o valor inicialmente proposto pelo governo, de R$ 2,1 bilhões.

“A gente gosta de dar murro em ponta de faca, mas é uma ação que temos de fazer. É uma imoralidade o que está acontecendo. São R$ 5 bilhões destinados para campanha política”, criticou a deputada federal Adriana Ventura (Novo-SP), em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, nesta sexta-feira, 18. 

-Publicidade-

“Esse dinheiro é retirado de saúde, segurança e educação. Isso é uma aberração e é inconstitucional”, completou a parlamentar. 

De acordo com a deputada, as manifestações devem acontecer em cerca de 80 cidades de vários Estados do país no sábado 19.

“O Novo é contra financiamento público de campanha. Somos favoráveis ao financiamento privado. Mas essa ação específica é contra o aumento abusivo e absurdo”, explicou Ventura. “O Executivo mandou no projeto de lei um montante de R$ 2 bilhões e, na Lei de Diretrizes Orçamentárias, simplesmente mudaram o valor.”

Segundo Ventura, “é uma vergonha o uso de tanto dinheiro para a campanha”. “Se fossem R$ 2 bilhões, já seria uma vergonha, o Brasil já estaria no topo do ranking mundial”, afirmou.

Novo e as federações partidárias

Na entrevista, Adriana Ventura também comentou a possibilidade de o Novo formar alguma federação partidária com outra legenda a partir das eleições deste ano. Ela praticamente descartou essa hipótese.

“Há esse questionamento, até porque é um partido pequeno. Mas nós não faremos federações. É muito difícil encontrar partidos que tenham o mesmo posicionamento de não usar financiamento público, partidário ou eleitoral”, concluiu. 

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. Sou contra esse absurdo de valor do fundão partidário com Novo ou sem Novo, e se bobearmos, teremos o desconto obrigatório de um dia de salário para sustentar o bando de sindicalistas.

  2. São contra porque é ‘bonitinho e limpinho” ser contra … e todo o resto??? Que andam de braços amarrados à esquerda suja deste país??? De novo esse pertideco já nasceu velho, infelizmente!!!

  3. Por isso ainda sou Novo. Votarei para presidente no Bolsonaro porque o momento político me parece ainda muito fragilizado, mas na questão de partido político o Novo tem minha simpatia. CONTRA O FUNDÃO ELEITORAL!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.