O ‘neoliberalismo tecnocrático’ e a nova luta entre classes

Rodrigo Constantino, apresenta um diagnóstico preciso sobre a causa das recentes revoltas populares
-Publicidade-
"Protestos no Capitólio em 6 de janeiro | Foto: Redes Sociais"
"Protestos no Capitólio em 6 de janeiro | Foto: Redes Sociais"

Rodrigo Constantino apresenta um diagnóstico preciso sobre a causa das recentes revoltas populares

Protestos no Capitólio em Washington, nos Estados Unidos, em 6 de janeiro de 2021 | Foto: Reprodução/Redes Sociais

A invasão do Capitólio, nos Estados Unidos, é sintoma do distanciamento entre os anseios do povo e os caminhos conduzidos pela elite dirigente. Em sua coluna na Edição 42 da Revista Oeste, Rodrigo Constantino apresenta um diagnóstico preciso sobre a causa das recentes revoltas populares. “A revolução neoliberal tecnocrática, realizada em uma nação ocidental após a outra por membros da elite gerencial cada vez mais agressiva e poderosa, provocou uma reação populista pela classe trabalhadora nativa na defensiva e sem poder”, escreve Constantino, citando Michael Lind, autor do livro New Class War: Saving Democracy from the Managerial Elite (em tradução livre, Nova Guerra de Classe: Salvando a Democracia da Elite Gerencial).

-Publicidade-
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.