O que Fux fez nos primeiros meses à frente do STF?

Relembre três fatos que marcaram a gestão do presidente do Supremo em 2020
-Publicidade-

Relembre três fatos que marcaram a gestão do presidente do Supremo em 2020

Luiz Fux
Presidente do STF, Luiz Fux | Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF
-Publicidade-

Em setembro, após dois anos de gestão Toffoli, o ministro Luiz Fux assumiu à presidência do Supremo Tribunal Federal sob a expectativa de como conduziria a Corte.

O antecessor colocou o Supremo no centro das atenções, com uma série de decisões polêmicas como, por exemplo, a instauração do “Inquérito das Fake News”, aberto para apurar supostas ofensas ao STF, mas que permitiu, inclusive, a censura de veículos de imprensa.

Leia mais: Gilmar Mendes solta um dos maiores doleiros do país

Luiz Fux chegou ao posto máximo do Judiciário brasileiro prometendo favorecer as decisões colegiadas e tirar o Supremo dos holofotes. Na prática, o que ele fez nestes três primeiros meses?

Na avaliação do jurista Modesto Carvalhosa, mesmo enfrentando resistências internas, principalmente do ministro Gilmar Mendes, Fux já conseguiu fazer com que a corte seja mais “respeitada”.

Relembre três momentos importantes:

Reeleição de Alcolumbre e Maia

No início de dezembro, por 6 votos a 5, o STF barrou a possibilidade de que Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia disputassem a reeleição para as presidências do Senado e da Câmara. Luiz Fux deu um voto decisivo.

“Nesse ponto, a norma constitucional é plana: não há como se concluir pela possibilidade de recondução em eleições que ocorram no âmbito da mesma legislatura sem que se negue vigência ao texto constitucional”, enfatizou o presidente do STF.

Prisão de André do Rap

Após o ministro Marco Aurélio Mello mandar soltar o traficante André do Rap, o presidente do Supremo cassou a decisão do colega e mandou que o criminoso fosse preso imediatamente. Já era tarde, ele está foragido até hoje.

Depois, por nove votos a um, o Supremo manteve a ordem de prisão do traficante. Único ministro contrário foi Marco Aurélio Mello.

“No caso específico, representaria autofagia não defender a imagem da Corte e do Supremo Tribunal Federal depois que lhe bateram à porta para anunciar que um traficante deste nível pudesse ser solto”, disse Fux na sessão.

Inquéritos e ações penais no plenário

Em vitória para a Lava Jato, Luiz Fux propôs que inquéritos e ações penais que tramitam na Corte voltassem a ser discutidos pelo plenário e não mais pelas turmas. A sugestão foi aprovada por unanimidade.

Ao apresentar a proposta, ele lembrou que a medida de julgar os casos nas turmas foi adotada em 2014, em um momento em que a Corte estava sobrecarregada. O número de processos diminuiu após a limitação do alcance do foro privilegiado.

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 comments

  1. Acredito que o Brasil inteiro deseja, que o ministro Fux faça com que o STF volte à ser respeitado, colocando ordem na casa e o devido respeito a constituição.

  2. Se fosse chefe de alguma Orcrim Nacional, eu diria que a marca de qq chefe de gang, é ser conivente com seus pares e ser corporativista.
    Lembrei me do congresso da República de bananas (entenda: povo brasileiro).

  3. OK! Fux fez coisas boas no seus 3 primeiros meses. A pergunta que fica é, porque se afastou de “férias”, ou seja lá o nome que se dá ao seu afastamento neste período, dando oportunidade aos “coleguinhas” de cometerem as maiores atrocidades contra a nação brasileira, como vem fazendo desde sempre. Com este STF o Brasil afunda.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site