-Publicidade-

OAB sai em defesa de jornalistas que sugeriram suicídio de Bolsonaro

Colunista do jornal Folha de S. Paulo afirmou que morte seria saída para crise política — e foi repercutido por colaborador da revista Veja
Para a OAB, não há problemas em pedir o suicídio do presidente Jair Bolsonaro
Para a OAB, não há problemas em pedir o suicídio do presidente Jair Bolsonaro | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) resolveu se manifestar a respeito do artigo “Saída para Trump: matar-se”, publicado na edição do último domingo, 10, do jornal Folha de S. Paulo. Assinado por Ruy Castro, o conteúdo foi divulgado por outro jornalista no Twitter. Pela rede social, Ricardo Noblat, da revista Veja, divulgou justamente o trecho em que é sugerido ao presidente Jair Bolsonaro tirar a própria vida.

Leia mais: “Partido Democrata entrega pedido de impeachment contra Trump”

Apesar do tom do conteúdo disseminado por colunistas da Folha de S. Paulo e da Veja, a OAB resolveu criticar o ministro da Justiça & Segurança Pública, André Mendonça. Após a repercussão do artigo sugerindo o suicídio de Trump e de Bolsonaro, o integrante do governo federal criticou o teor do conteúdo. Além disso, Mendonça avisou que pediria abertura de inquérito policial contra Castro e Noblat. “As penas de até dois anos de prisão poderão ser duplicadas”, indicou o ministro em seu perfil no Twitter.

Em vez de criticar quem clama pelo suicídio de dois presidentes, a OAB reclamou do governo federal. “A abertura de investigações policiais sobre artigos escritos pelos jornalistas Ruy Castro e Ricardo Noblat é mais uma atitude deste governo de intimidação da imprensa e contra a liberdade de expressão”, afirma a entidade em nota divulgada nesta segunda-feira, 11. Criminalizar opiniões, parábolas ou críticas ao governante não é admissível dentro do Estado de Direito. Goste-se ou não dos artigos, é preciso maturidade democrática para conviver com críticas”, prosseguiu a OAB.

Criticado por empregador

Diferentemente da OAB, a direção da revista Veja criticou o tipo de conteúdo disseminado por um de seus colunistas. Nesse sentido, a publicação afirmou repudiar a postagem feita por Ricardo Noblat sobre o tema. “Não achamos que esse tipo de opinião contribua em nada para a análise política do país”, registrou o veículo de comunicação em seu perfil no Twitter. O comando da Folha de S.Paulo, que conta com outro colunista que já registrou publicamente a torcida pela morte de Jair Bolsonaro, não se manifestou sobre o assunto.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês