Pacheco quer que o Congresso debata o fim da reeleição

'Nós temos que discutir de maneira muito séria o fim da reeleição no Brasil', disse o presidente do Senado
-Publicidade-
Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco | Foto: Afonso Marangoni/Revista Oeste
Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco | Foto: Afonso Marangoni/Revista Oeste

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse que a experiência de reeleição no Brasil não foi bem sucedida e que o Congresso precisa discutir o fim deste dispositivo.

Em conversa com jornalistas na saída da sessão do plenário nesta quinta-feira, 10, o senador também sugeriu a possibilidade de se passar o mandato presidencial para cinco anos.

-Publicidade-

“Nós temos que discutir de maneira muito séria o fim da reeleição no Brasil, não que isso seja um ponto definitivo, mas eu considero que a experiência de reeleição no país não foi bem sucedida”, afirmou.

Pacheco pontuou, no entanto, que qualquer alteração sobre o tema só deva valer para um “futuro mais distante” e não para as próximas eleições.

“Para não se entender que isso tem o objetivo específico em relação a um candidato ou a um partido A ou B, não é essa a intenção. É mesmo pensar no que é melhor para o país.”

A reeleição foi instituída no Brasil em 1997 por articulações do então presidente da República, Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que foi o primeiro beneficiado pela possibilidade.

Em 2020, FHC disse que foi um erro a aprovação da emenda constitucional nº 16, que abriu a possibilidade de reeleição de quem ocupa cargos no Poder Executivo em todos os níveis de governo.

Semipresidencialismo

Pacheco falou sobre reeleição após ser questionado sobre a ideia do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de colocar em debate no Congresso a discussão sobre a adoção de um regime semipresidencialista.

Conforme mostrou Oeste, Lira disse mais cedo que o tema deve ser enfrentado a partir de março deste ano. O presidente do Senado sugeriu que os dois pontos sejam analisados conjuntamente, como em um grupo de trabalho.

Segundo Lira, a ideia é que qualquer texto que venha a ser escolhido pelos parlamentares seja votado apenas pelo novo Congresso, que será escolhido em outubro.

“Seria uma proposta de alteração de sistema de governo para 2030, tirando o debate desta eleição, tirando o debate de 2026, não fulanizando a discussão e fazendo um debate de alto nível no contraturno dos trabalhos da Câmara”, disse.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

19 comentários Ver comentários

  1. Quando convêm pra vocês né kkk, mas se for o caso então que aumente o mandato para 5 anos, pois em 4 não se faz muita coisa principalmente se for alguém que combata a corrupção, o sistema e a harmonia $$$$ entre os poderes né. Que isto se estenda ao STF , precisa ter também mandato e a composição precisa também ser eleita pelo judiciário, não dá para serem eternos militando ainda.

  2. Aceito a discussão da reeleição presidencial; mas não para agora. O ideal seria para o início de 2023, onde os ânimos estarão mais calmos e a razão mais prevalente.

  3. Essa é uma velha ladainha dos políticos ordinários (= sem vergonha)!
    Quando um grupo está no poder a realização interessa.
    E quando o grupo está fazendo excelente governo por exemplo no caso atual do governo Bolsonaro e virtualmente com reeleição assegurada querem acabar com a reeleição.
    O que deveria ser discutido é se o nosso sistema político atual está precisando ser modificado. P.ex. a interferência dos poderes que estamos vendo hoje do Judiciário/Parlamento vs Executivo. E agora querem estabelecer o semi-presidencialismo? Isso já está em plena operação. Que está completamente fora da CF vigente.
    O que se deve acabar são as reeleições de deputados e senadores (e neste não pode ter suplente indicado e sim eleito). Quanto à presidência o mundo todo tem reeleição a presidente. Por que aqui não podemos ter?
    O que poderíamos ter aqui é o RECALL como existe p.ex. nos EUA. Se o desempenho do presidente está ruim conforme uma regra preestabelecida, remove-se e faz se uma nova eleição ou assume o vice.
    É um tema de qualquer forma complexa e precisa amadurecer as diversas correntes.

  4. Vamos dar o bom exemplo e começar a proibir a reeleição dos senadores e deputados, deixando apenas a reeleição para o chefe do Executivo, onde não se tem conhecimento de corrupção.

  5. O desespero causado pela redução dos níveis de corrupção, tem levado os cabeças de partidos, câmara, senado e toda a classe política a imaginar um cenário que possibilite a volta ao estado anterior, onde todos lucravam e o país perdia.

  6. Reeleição proibida? Ótimo. Inclusive para senadores. E mandato igual ao do presidente. Campanha para eliminar do senado os corruptos, “rabo preso”, aproveitadores e os “roda presa” igual ao tal Rodrigo.

  7. TEM ALGO ESTRANHO! O PRESIDENTE DA CÂMARA FALA EM SEMIPRESIDENCIALISMO E NO MEMO MOMENTO O CHEFE DO SENADO FALA NO FIM DA REELEIÇÃO. TEM COISA ATRAPALHANDO A VIDA DESSE PARLAMENTO, E OUTROS.

  8. Isso está há bastante tempo lá. Qual o motivo de ser agora? Fique sabendo que Bolsonaro será reeleito e depois virá o Tarcísio de Freitas. Ou, a ministra Teresa Cristina.

    1. Aí é aonde está a tentativa de golpe. Eles colocam essa tal proposta em discussão aí combinado com à velha imprensa a soldos forjam pressão das ruas vias Esquerdeopatas Esquizofrênicos pedindo para as eleições deste ano como estava lurando e formando um conluio o boca de cabra Gilmar Mendes, inventam um clamor popular aí quando pensar que não aparecerão Boca de Veludo, Giilmar e Cia pressionando os parlamentares sob ameaças como fizeram na PEC do voto auditável e contagem pública. Quem não se lembra que em reunião com as lideranças na Câmara e Senado o ministro Boca de Veludo reverteu votos a favor da PEC, bem como fez presidentes e líderes de partidos trocar todos na CCJ da Câmara que eram a favor do voto impresso? E quem foi que fez a pressão no congresso munido dos fichários sujos e folhas corridas com inquéritos no seu e nos demais gabinetes dos pseudos semideuses togados de bordéis de beira de estradas? Quem? Ou melhor, quais os juízes de araques, de bordéis de beira de estradas? O Boca de Veludo, o Boca de Cabra Gilmar, Fachin, Fux, Rosa Weber, Toffoli, Lewandowski e Xandão PCC. Todos operaram junto aos líderes e presidentes de partidos para sabotar a tal PEC no que aconteceu, a PEC do voto impresso e auditável foi recusada porque a maioria da CCJ que apoiavam a referida foram trocados depois dos encontros a salas fechadas com o Boca de Veludo. Quem não lembra?? Aí tem… Ah tem! Arthur Lira não é confiável e Rodrigo Pacheco é um boneco de mamolengo, um fantoche, um boneco de olinda… Um babaquinha que come nas mãos dos togados do STF e TSE, dos juízes de araques, semideuses formados nos bordéis de beira de estradas. Fiquem vigilantes pois essa é mais uma das tantas tentativas de conspiração e golpe partidas do congresso com participação direta dos togados do STF e TSE, dos juízes de araques formados em bordéis de beira de estradas…

  9. Quer discutir o fim da reeleição, tudo bem, mas tem que incluir nesta pauta o fim da reeleição de senadores e deputados, tem que incluir o fim dos cargos vitalícios dos tribunais superiores, tem que incluir o fim das aposentadorias de deputados, senadores e ex-presidentes, etc….etc……etc………

  10. Este Pacheco tem uma cara de moço bem certinho, um sujeito direito, aquele cara de confiança, só que não!
    Este daí pra começar, por ter está carinha, pra chegar onde chegou, nada me tira do meu juízo, foi um bravateiro cagalhão e covarde que deu certo como muitos que vi se criarem, que não foi contrariado justamente pela lata que tem.
    Ele costuma ficar calado porque nem ele sabe como chegou até onde chegou e com medo de desmoronar muitas vezes fica calado sem acreditar no que se tornou.
    Volta e meia ele vem com essas armações por que devem cutuca-lo cobrando fala pelo menos isto fala pelo menos aquilo você calado tá errado.
    Eu até acho que o fim da reeleição seja uma boa o cara vai tentar fazer o sucessor a cada mandato.
    Sei que não é o caso da reeleição de bolsonaro que vai acontecer a não ser que seja garfiado pelo STF.
    Mas que o Pachecão é um covarde ninguém tem dúvidas!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.